Da Redação de OEstadoNet
Santarém/Pará

O médico Álvaro Cardoso Magalhães, que teve sua prisão preventiva decretada pelo juiz Alexandre Rizz, da primeira vara penal de Santarém, por suspeita de pratica de crimes de pedofilia e estupro de vulnerável, juntamente com duas mulheres, também teve contra si decretada prisão em flagrante por guarda de material pornográfico infantil armazenado em seus equipamentos eletrônicos apreendidos durante a operação Anjo da Guarda, deflagrada pela Polícia Civil de Santarém, nesta segunda-feira(3).
Segundo uma fonte do Portal OESTADONET, o médico   mantinha em arquivo de seus computadores centenas de filmes com cenas sexuais envolvendo crianças e adolescentes.
Outra prova colhida pela polícia civil que agrava a situação do médico são as mensagens trocadas por ele com suas cúmplices, marcando encontro em um motel da cidade. Pelo menos uma vez por semana as crianças - uma de três anos e uma de três meses - teriam sido levadas para esses encontros.
Ainda segundo a fonte, o médico se recusou a prestar depoimento, mas Odete Friss e Darliane Silva dos Santos teriam confirmado o envolvimento de Álvaro Cardoso Magalhães com a prática de pedofilia e estupro de vulnerável.
A fonte completa que outra fixação do médico era por mulheres grávidas. Uma das mulheres presas, Odete Friss, e que teria permitido que sua filha fosse molestada teve contato com Álvaro durante a gravidez.




Comente no Site (Clique Aqui)


Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Comente no Facebook (Clique Aqui)


Última modificação em Segunda, 03 Julho 2017 16:26