Agência Pará e redação

Segundo o comando de Operações do Corpo de Bombeiros, desde às 6 horas desta sexta-feira (4), uma equipe de mergulhadores formada por militares de Belém e de Santarém, iniciou uma varredura na área do rio Amazonas, próximo a Óbidos, onde ocorreu um acidente envolvendo o navio Santos Mercosul e um comboio de balsas conduzido por um empurrador.

O objetivo da varredura é localizar o rebocador de balsa da empresa Bertolini Transportes, que estaria a uma profundidade de cerca de 60 metros.

O acidente ocorreu na madrugada da última quarta-feira. Duas pessoas conseguiram se salvar, outras nove continuam desaparecidas.

A suspeita é que os corpos possam estar presos nos compartimentos do rebocador, pois a informação da empresa é de que estavam dormindo, era por volta de 4h30.

A operação conta com o auxílio de uma corda de 300 metros, a qual será conectada a dois barcos. Assim que o engate da corda for realizado, iniciam-se os mergulhos, respeitando os limites técnicos de profundidade e com o objetivo de se confirmar a localização. Caso nada seja encontrado, os mergulhadores retornam à superfície e continua-se a varredura. Isso será mantido até que seja encontrado o local exato do rebocador.

No âmbito da Polícia Civil, o diretor do Grupamento Fluvial da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa, delegado Dilermando Dantas já iniciou o trabalho de investigação, juntamente com um grupo de policiais da Delegacia de Óbidos. De acordo com Dantas, a polícia começou a ouvir envolvidos no acidente, caso dos tripulantes do navio Mercosul Santos, que chocou-se com o rebocador.




Comente no Site (Clique Aqui)


Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Comente no Facebook (Clique Aqui)