Agência Pará e redação

Os homens estão vivendo, em média, sete anos a menos que as mulheres. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Entre as doenças que mais matam os indivíduos do sexo masculino estão o infarto agudo do miocárdio e o Acidente Vascular Cerebral (AVC), este último relacionado, entre outras coisas, à falta de controle do colesterol. É para alertar sobre esses dados que o Governo do Pará lançou a campanha preventiva “Saúde do Homem”.

O apresentador do programa Planeta Extremo, Clayton Conservani, presente no evento, falou sobre os “Limites não tão extremos: quebrando preconceitos pela saúde do homem”. Antes, houve a apresentação da Cartilha de Cuidados com a Saúde do Homem, que traz orientações na área da saúde destinadas ao sexo masculino.

A campanha conta ainda com apresentação das peças de divulgação, que inclui cartaz, vídeo e página na internet (www.pa.gov.br/saudedohomem) com notícias, dados, vídeos e materiais da campanha para baixar. No decorrer deste mês, o trabalho prossegue com ações voltadas à saúde do homem, como blitzes médicas em feiras livres da cidade e ações nas redes sociais.

Esta é a quinta campanha promovida este ano pelo Governo do Pará. As edições anteriores tiveram como temas o “Combate à violência contra a mulher”, “Incentivo à Leitura”, “Combate à LGBTFobia” e de educação no trânsito “Todos pela Vida. Faça sua Parte”, com o envolvimento de praticamente toda a estrutura do Governo do Estado, direta ou indiretamente. Nesta edição, a coordenação ficará a cargo da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) e de Comunicação (Secom).

“Nossa intenção com as campanhas é chamar a atenção para temas que, com mudança de comportamento e atitude individual mesmo, podem produzir bons resultados. Nesse caso, pequenas mudanças podem gerar mais qualidade de vida e até reduzir custos com tratamentos de saúde que poderiam ser evitados com hábitos mais saudáveis”, explica o secretário de Comunicação, Daniel Nardin.

Coordenação

Para alertar os homens sobre a necessidade de cuidar mais da saúde, o Ministério da Saúde criou a Política Nacional de Saúde do Homem. No Pará, a Sespa é a responsável por esse trabalho, por meio de uma coordenação estadual, que incentiva a prevenção.

De acordo com o coordenador estadual da Saúde do Homem, Carlos Sales Júnior, entre as doenças que mais matam indivíduos do sexo masculino estão as cardiovasculares, como infarto agudo do miocárdio e o Acidente Vascular Cerebral (AVC). “Para evitá-las é preciso investir na prevenção, com exames regulares simples como medir a verificação da glicemia, para saber se existe risco de diabetes, e da pressão arterial. Ambas podem ser feitas em qualquer posto de saúde, na atenção básica”, explica. 

Sales ressalta, ainda, que além da baixa frequência nos consultórios médicos, quando vão, os homens muitas vezes não seguem o tratamento recomendado, não praticam atividade física com regularidade, estão mais expostos aos acidentes de trânsito e de trabalho, são mais suscetíveis a doenças sexualmente transmissíveis e ainda estão envolvidos na maioria das situações de violência. “Na verdade, as chamadas causas externas são as principais responsáveis por essas mortes. Acidentes de trânsito, violência e afogamento encabeçam a lista”, afirma o coordenador.




Comente no Site (Clique Aqui)


Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Comente no Facebook (Clique Aqui)


Última modificação em Quarta, 09 Agosto 2017 10:36