Da Redação de OEstadoNet
Santarém/Pará

A coordenação do Corpo de Bombeiros Militar/Defesa Civil do Estado oficializou na manhã desta quinta-feira (10), em Santarém, medidas direcionadas às empresas Transportes Bertolini Ltda. e Mercosul Line, proprietárias, respectivamente, do empurrador CXX e do Navio Mercante “Mercosul Santos”, que colidiram na madrugada do último dia 2, em um trecho do rio Amazonas às proximidades da cidade de Óbidos. A reunião com os representantes das duas empresas foi realizada na sala de situação da Defesa Civil, instalada na sede do 4ª Regional de Defesa Civil do Baixo Amazonas.

O CBM/Defesa Civil solicitou informações aos representantes das duas empresas sobre as definições de buscas aos desaparecidos e o trabalho de reflutuação do empurrador, localizado a 63 metros de profundidade. Foram solicitados também esclarecimentos quanto ao atendimento dos familiares das vítimas. Nove pessoas, todos tripulantes do empurrador, continuam desaparecida. A suspeita é que os corpos possam estar presos nos compartimentos do CXX.

A reunião contou com a participação a Polícia Civil, do Centro de Perícias Científicas “Renato Chaves”, da Delegacia Fluvial/Marinha do Brasil e da Polícia Militar. Os trabalhos foram coordenados pelo coronel BM Francisco Cantuária.

Em uma ata assinada ao final da reunião ficaram reunidos vários pontos, entre os quais o fornecimento informações (e-mails e documentos) referentes à contratação de empresa especializada no trabalho de salvatagem. O Corpo de Bombeiros ainda irá formalizar um ofício à Transportes Bertollini Ltda. com o pedido de informações. A empresa terá até o dia 16 para responder.

Neste mesmo dia também está prevista uma nova reunião. A seguradora P&I, que presta serviços à Transportes Bertolini, será convocada a participar da reunião. A seguradora é a responsável direta pela contratação da empresa de salvatagem.

“Esse momento serviu para que as empresas reunissem e mostrassem para os órgãos de segurança, as medidas de resgate dos desaparecidos. Isso nos permite mostrar, sobretudo aos familiares, todas providências que estão sendo tomadas para localizar as vítimas. O compromisso do governo do Estado é articular ações para solucionar rapidamente o caso”, disse o coronel Cantuária.

“A seguradora está buscando empresas especializadas no resgate dos desaparecidos e o içamento do empurrador. Eles informaram que nenhuma empresa qualificada apresentou condições para a execução dos trabalhos até o momento, devido às dificuldades do local onde o naufrágio ocorreu”, disse Marcelo Schroder, gerente da Bertolini. O executivo informou que a empresa teria reunido com 27 parentes de vítimas do naufrágio.

Durante a reunião foi discutido ainda o protocolo para a liberação do Navio “Mercosul Santos” junto à Marinha do Brasil, ainda fundeado no rio Amazonas e distante 15 quilômetros do ponto de localização do empurrador. O Corpo de Bombeiros também solicitou ainda à Transportes Bertolini o plano de resgate da barcaça presa ao navio Mercosul.

 Texto:
Sérgio Chêne




Comente no Site (Clique Aqui)


Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Comente no Facebook (Clique Aqui)


Última modificação em Quinta, 10 Agosto 2017 16:02