Miguel Oliveira, editor
A presidente nacional do Partido dos Trabalhadores (PT) e senadora, Gleisi Hoffmann, que veio a Santarém para participar de um encontro de parlamentares e lideranças partidárias, foi taxativa: "o Lula será o nosso candidato, nós vamos lutar para isso. Mesmo uma sentença de segundo grau, de condenação, não é suficiente para impedi-lo de ser candidato, pois já tivemos outros casos no Brasil de candidatos que já foram autorizados a disputar eleição mesmo com sentença de segunda instância".   A senadora disse que o PT lutará em "todas as instâncias jurídicas" para garantir que Lula seja candidato. "Faremos uma denúncia internacional se tentarem impedí-lo", ressaltou, negando ter dito, dias atrás que o PT iria boicotar as eleições de 2018 caso Lula fique de fora do pleito.    "Não tem essa de boicote, o PT vai participar das eleições, é uma trincheira de luta importantíssima, assim como a luta nas ruas com os movimentos sociais ao desmonte que o Brasil está passando". Perguntada se o PT possui dois pesos e duas medidas no caso das delações premiadas, em que contra os acusados do partido é tudo mentira e contra adversários é tudo verdade, Gleisi argumentou que, se fosse assim, o PT não teria soltado uma nota, afirmando que o Senado tem que ser respeitado, referindo-se à decisão do STF de manter o senador Aécio Neves sem o mandato e com restrições à sua liberdade de ir e vir.   Segundo Gleisi, o senador do PSDB "subia dia e noite à tribuna do Senado para destratar o PT, xingar  Dilma e Lula, chamando-o de chefe de organização criminosa e "dando todos os motivos, agora, para o PT comemorar o que está ocorrendo com ele". Mas disse "achar pouco", pois ele deveria ter sido julgado, pelos 7  inquéritos a que responde, "mas nós não achamos correto o que está acontecendo".    Para a senadora, o STF não tem base para afastar Aécio Neves ou colocá-lo com restrição de liberdade, já que o mais importante "é manter o respeito à Constituição". No caso das delações que envolvem petistas, ela sustenta que é "tudo sem provas, feita por pessoas que querem limitar suas penas". E mais: muitos empresários ricos, que participaram de esquemas, mas fizeram delações contra políticos, estão soltos ou cumprindo prisão domiciliar.   Quanto aos adversários que fizeram delações, ela indaga: "onde é que estão as malas do PT, as caixas de dinheiro, as contas no exterior, a riqueza acumulada?" Sobre as denúncias de corrupção contra Lula, rebate que ele "mora na mesma casa onde já morava, em São Bernardo do Campo, antes de ser presidente da República, um apartamento de classe média".    Gleisi assegura que Lula não tem apartamento em Paris, fazenda, absolutamente nada. "Tentam dar a ele uma série de coisas, um apartamento na praia, um sítio, um terreno de instituto, que nunca foram deles". A senadora também declarou em Santarém não existir nenhuma gravação do PT dizendo que tem que acabar com a operação Lava Jato, ou pedindo dinheiro para quem quer que seja.   Há gravações, diz, de Aécio, Michel Temer, Eduardo Cunha, Geddel, pedindo dinheiro, tudo cheio de provas. "São delações consistentes", resumiu. Questionada por Miguel Oliveira se isso não vale para o PT, só para os outros, a senadora concluiu, admitindo: "claro, vale para todos". O que há, segundo ela, são "diferenças" entre os acusados do PT e seus adversários, "como já citei"



Comente no Site (Clique Aqui)


Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Comente no Facebook (Clique Aqui)


Última modificação em Sexta, 29 Setembro 2017 16:19