Portal OESTADONET

A construtora Mello de Azevedo está utilizando nas fundações e base do trecho de 1.640 metros do cais de arrimo que a prefeitura de Santarém está reconstruindo e ampliando um sistema de estacas  injetadas para  fundações, denominada pressoancoragem (microestacas). Ideal para aplicação em terrenos com presença de lençol freático, essa tecnologia permite a montagem de fundações com diâmeto menor das peças, o que facilita a perfuração e diminui o custo.

Esta semana, essas obras estruturais na orla já alcançaram todo o trecho compreendido entre o final da terceira etapa do cais, inaugurado recentemente pelo prefeito Nélio Aguiar e o ministro Helder Barbalho, e o porto improvisado da praça Tiradentes. A empresa que executa a obra espera concluir esta etapa em todo o trecho até o início de fevereiro, quando as águas do rio Tapajós já estiverem atingindo a orla da cidade.

Segundo o Portal OESTADONET apurou o uso dessa tecnologia deve permitir que todas as fundações, pilares e placas de contenção do aterro estejam concluídos até junho, quando a enchente alcança seu maior pico. Se essa previsão se confirmar, o prazo de conclusão total do trecho final do cais de arrimo, até a Vera Paz, poderá até ser antecipado.

Ainda segundo a empresa, mesmo que o rio Tapajós atinja a sapata da estrutura, o assentamento das placas poderá ser feito acompanhando a subida das águas. A empresa sustenta que o processo utilizado é diferente do utilizado nos outros três trechos já ampliados, pois apesar de ser mais caro, com a utlização de microestacas, permite rapidez no ritmo das obras.

A segurança, nesse caso, é a mesma, garante a empresa, que subcontratou uma empresa especializada, a Soegel, para a executar o serviço de pressoancoragem, método pelo qual as estacas são montadas com injeção de concreto por meio de um tubo que atravessa uma base(sapata) até atingir uma profundidade de cerca de 10 metros. Com isso, há redução do tamanho do bloco e o esforço do peso do aterro sobrecai sobre as estacas e não sobre as placas, o que gera maior estabilidade em toda estrutura.

 




Comente no Site (Clique Aqui)


Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Comente no Facebook (Clique Aqui)


Última modificação em Segunda, 08 Janeiro 2018 09:28