Portal OESTADONET

Um artigo de Reinaldo José Lopes, publicado no Blog da Folha de São Paulo, faz uma merecida homenagem à arqueóloga e pesquisadora Denise Pahl Schaan, falecida recentemente, em Belém.

Escreveu Reinaldo que " raros são os que contribuíram tanto quanto a arqueóloga gaúcha Denise Pahl Schaan, da UFPA (Universidade Federal do Pará). Schaan tinha apenas 56 anos quando morreu no último dia 3 de março. Ela sofria de esclerose lateral amiotrófica, uma doença degenerativa que afeta os neurônios que controlam os movimentos, tal como a que acomete o físico britânico Stephen Hawking".

SANTARÉM

A atual cidade do interior do Pará, na região do rio Tapajós, já foi considerada a grande candidata a núcleo “imperial” da Amazônia pré-histórica tardia, graças à sua população relativamente enorme (talvez dezenas de milhares de pessoas) e, de novo, à arte requintada.

Análises recentes coordenadas por Denise Schaan, porém, mostraram que havia vários outros núcleos populacionais com produção artística semelhante nas vizinhanças de Santarém, o que sugeriria um conjunto de núcleos aliados com cultura compartilhada, e não um grande centro imperial que exportaria sua cultura Amazônia afora.
A pesquisadora deixa seu marido, um filho e uma filha, além de uma contribuição imensa em conhecimento. Quase todos os principais núcleos populacionais da Amazônia brasileira antes da invasão europeia foram estudados por ela.




Comente no Site (Clique Aqui)


Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Comente no Facebook (Clique Aqui)