Anselmo Colares

A manhã do dia 12 de julho de 2013 vai ficar marcada na memória de estudantes, professores e técnicos da UFOPA que estavam em atividades nas dependências do Hotel Amazônia Boulevard, que é também denominado de Campus Amazônia. Quando pensamos em um hotel, a imagem normalmente é de um local para descanso e paz. Mas, neste caso, tem se tornado um local de pânico. Os problemas já estavam sendo denunciados há meses, mas agora atingiu um nível insustentável, obrigando a administração superior da universidade a suspender aulas e atividades administrativas que não realizadas naquele local.

São mais de mil e duzentas pessoas que circulam e/ou permanecem por dia nas dependências do hotel – campus. O aluguel de salas foi a “solução” encontrada pela Reitoria para garantir o funcionamento “normal” da instituição. Decisão tomada por um grupo muito restrito e sem a participação das organizações representativas de docentes, discentes e técnicos administrativos. Este tipo de procedimento, aliás, vem sido objeto de denúncias e crescentes insatisfações na comunidade universitária. Faz três meses (17/04/2013) que o Sindicato dos Docentes solicitou uma vistoria técnica no prédio pelo corpo de bombeiros, e ficou constatado a inexistência de projeto preventivo de incêndio e controle de pânico, conforme está expresso no Relatório elaborado pelo 4º Grupamento de Bombeiro Militar.

Mesmo com as denúncias, o medo estampado no rosto das pessoas diante de uma possível tragédia, novas salas foram alugadas e até o gabinete do Reitor está sendo instalado no Amazônia Boulevard. Este fato levanta algumas suspeitas, e diversas possibilidades, as quais vou resumir em duas questões: Demonstração de que tudo não passa de temor infundado? Início da consolidação da compra definitiva daquele prédio, sem que o assunto seja discutido com os segmentos que constituem a universidade? O episódio desta sexta-feira, mesmo não sendo 13, pode ajudar a mudar os rumos da conturbada história inicial da Ufopa. Quiçá tenha sido a mão de Deus para impedir uma tragédia maior. Falta agora a ação humana para que o alerta espante de vez o medo e seja restabelecida a paz aos estudantes, professores e técnicos administrativos.

 

A posição da UFOPA:

Nota da Reitoria

Em virtude da ocorrência de dilatação térmica, com descolamento de uma peça de cerâmica do piso do 3º andar do Amazônia Boulevard, onde alunos do PARFOR/UFOPA estavam em aula, a Reitoria da UFOPA informa que:

  • O Corpo de Bombeiros realizou vistoria e determinou que seja realizada nova avaliação e sanadas pendências de segurança, com prazo até a próxima terça-feira, 16 de julho;
  • Em função disso, todas as ATIVIDADES DE ENSINO da UFOPA no Amazônia Boulevard ficarão suspensas até o dia 16 de julho;
  • Em ocorrendo, dentro do prazo, a regularização das pendências junto ao Corpo de Bombeiros, as aulas serão reiniciadas na próxima quarta-feira, dia 17 de julho;
  • De imediato, ficam suspensas, pelo dia de hoje, as ATIVIDADES TÉCNICAS E ADMINISTRATIVAS da UFOPA no prédio referido, devendo ser retomadas na próxima segunda-feira, dia 15.
  • Prof. Dr. Clodoaldo dos Santos

    Reitor da UFOPA, em exercício

    Santarém, PA, 12/7/2013

    Retificação

    Em retificação à nota anteriormente publicada a respeito das atividades da UFOPA no Amazônia Boulevard, a Reitoria informa que:

    O comparecimento dos TÉCNICOS ADMINISTRATIVOS da UFOPA, para as ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS E TÉCNICAS no Amazônia Boulevard, será facultativo até a próxima terça-feira, dia 16, devendo o expediente normal ser retomado na quarta-feira, dia 17 de julho.

    Prof. Dr. Clodoaldo dos Santos

    Reitor da UFOPA, em exercício

    Santarém, PA, 12/7/2013




    Comente no Site (Clique Aqui)


    Deixe um comentário

    Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

    Comente no Facebook (Clique Aqui)



    NOTÍCIAS RELACIONADAS

  • Leia Mais Notícias de Anselmo Colares