Lúcio Flávio Pinto, editor do Jornal Pessoal

Executivos da Construtora Camargo Corrêa, uma das maiores empreiteiras do país, deverão dar informações vão dar detalhes sobre a formação de cartel das empresas para a conquista das obras das usinas hidrelétricas de Belo Monte, no Pará, e Jirau, em Rondônia, além de outras irregularidades em obras de estatais do setor energético.

O diretor-presidente da Camargo Corrêa, Dalton Avancini, e o vice-presidente da empresa, Eduardo Hermelino Leite s, firmaram acordo de delação premiada com a Operação Lava-Jato, que apura corrupção na Petrobrás.

É o que antecipa o jornal Valor Econômico, de São Paulo, na edição de hoje. A Camargo tem participação nas duas obras, cujo custo está estimado em quase 40 bilhões de reais. No ano passado, o Tribunal de Contas da União iniciou uma auditoria para investigar o repasse de 22,5 bilhões de reais do BNDES para o consórcio Norte Energia SA, responsável pela construção de Belo Monte, segundo ainda o jornal.

Uma curiosidade: os executivos se dispõem a fazer denúncias sobre Jirau, mas não se referiram à outra hidrelétrica construída no rio Madeira, a usina de Santo Antonio, do mesmo porte de Jirau.




Comente no Site (Clique Aqui)


Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Comente no Facebook (Clique Aqui)


Última modificação em Terça, 03 Março 2015 22:33

NOTÍCIAS RELACIONADAS

  • Leia Mais Notícias de Coluna do Estado