Divulgado edital de seleção para contratação temporária na área da educação em Santarém
Segunda, 15 Janeiro 2018 12:49

Divulgado edital de seleção para contratação temporária na área da educação em Santarém

Escrito por Agência Santarém de Notícias e redação do Portal

Aguardado com grande expectativa pela comunidade santarena, o edital do Processo Seletivo Simplificado para contratação de Professores e Pedagogos em caráter temporário para atuação nas escolas de Educação Básica geridas pela Secretaria Municipal de Educação (Semed), no âmbito do município de Santarém, para o ano letivo de 2018, foi publicado no início da manhã desta segunda-feira (15), no site oficial da Prefeitura de Santarém.

São 900 vagas para professor e pedagogo, além de cadastro de reserva, segundo a Semed 

As inscrições serão realizadas exclusivamente na internet, em formulário próprio. O link para as inscrições estará disponível no site da Prefeitura de Santarém, no período de 16 a 19 de Janeiro de 2018.

Serão ofertados os cargos de Pedagogo, professores de Educação Infantil, Professor de Educação Especial, Professores de 1º ao 5º ano e Professores de 6º ao 9º ano habilitados nas disciplinas de Língua Portuguesa, Ciências, Língua Inglesa, Ensino da Arte, Matemática, História, Geografia, Estudos Amazônicos, Ensino Religioso e Educação Física.

O processo seletivo de que trata o Edital Nº 001/2018 será composto pelas seguintes etapas: inscrição, classificação, chamada e contratação dos professores e pedagogos, conforme cronograma anexo I.

Requisitos
São requisitos para a inscrição: a) ser brasileiro nato ou naturalizado; b) ter, na data da chamada e comprovação de títulos, a idade mínima de 18 anos completos; c) possuir a escolaridade e requisitos mínimos exigidos para o cargo; d) estar quite com as obrigações eleitorais e militares; e) não possuir vínculo profissional com a Administração Pública Direta e Indireta da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, com os Poderes Legislativos e Judiciários, salvo os casos permitidos pela CF/88.

A coordenação e execução do processo de seleção é de responsabilidade da Comissão Central designada pela Portaria N.º 003/2018-SEMGOF,. E a chamada e contratação dos aprovados na seleção é se responsabilidade da SEMED.

Os cronogramas das etapas de chamada e contratação do processo de seleção regulamentado pelo Edital serão divulgados em Edital próprio, de responsabilidade da Secretaria Municipal de Educação (Semed), a serem divulgados no site: www.santarem.pa.gov.br.

A previsão é que a lista com os nomes dos aprovados para as vagas ofertadas seja divulgada no dia 12 de fevereiro de 2018.

Duas organizações sociais participam de licitação para gestão do Hospital Municipal e UPA 24h de Santarém

Deve ser conhecida na próxima semana a organização social vencedora da licitação aberta pela Prefeitura Municipal de Santarém contratação de serviços de gestão hospitalar do Hospital Muncipal de Santarém e UPA 24. Estão concorrendo o Instituto Inovação em Gestão Pública, de Bareri(SP) e  Insituto Panamericano de Gestão, de Goiânia(GO).

O processo de terceirização da administração de hospitais públicos em Santarém começou no dia 3 de agosto de 2017, com a sanção da lei aprovada pela Câmara de Vereadores que autorizou o município a terceirizar a prestação de serviços de saúde.

O prefeito de Santarém Nélio Aguair defende o modelo de gestão de hospitais através de OS. “Hoje temos uma gestão própria que não responde às necessidades da população que procura o Hospital Municipal. Por isso estamos discutindo um novo modelo que já funciona no país há mais de 19 anos, que são as organizações sociais", afirmou.

Além dessa discussão de gestão, que visa melhorar atendimento no Hospital Municipal, o prefeito observa que o município fez gestão junto à Sespa para reduzir o fluxo de pacientes de outros municípios para Santarém. " A Sespa vai aumentar a oferta de hemodialise de 34 para 100 máquinas no Hospital Regional do Baixo-Amazonas, os hospitais de Belterra e Mojui dos Campos estão sendo melhorados, e o hospital de Alenquer vai passar para a administração estadual. O funcionamento efetivo desses hospitais da região vai reduzir o número de pacientes que viriam para Santarém, desafogando o atendimento no Hospital Municipal de Santarém", finalizou Nélio Aguiar.

 

 

Lei que regulamenta Uber em Santarém aumenta exigências para cadastro, mas é omissa quanto à punições a aplicativos e motoristas

Nas cidades em que foi regulamentado o serviço, os motoristas de transporte individual remunerado de passageiros, cuja chamada se dá por uso de aplicativo de internet,  precisarão estar cadastrados na prefeitura e ter feito um curso de direção defensiva específico para essa categoria.

Em linhas gerais, o motorista terá de usar sempre roupa social, esporte fino, enquanto o veículo terá de ser novo (máximo de cinco anos), ser aprovado em inspeção e ter placa da cidade e um adesivo do aplicativo no para-brisas.

Mas em Santarém, de acordo com lei sancionada pelo prefeito Nélio Aguiar, no último sábado(6), os motoristas também terão que comprovar a frequência em cursos de relações humanas e primeiros socorros.

Apesar das restrições para o serviço serem maiores em Santarém, se comparadas a outras cidades que regulamentaram o transporte individual por meio de aplicativos, há uma lacuna na lei sancionada pelo prefeito Nélio Aguiar. 

Pela nova lei, não há uma punição clara se o motorista ou  aplicativo desrespeitarem rotineiramente as regras. Não há menção  à aplicação de multas ou até a suspensão do direito para o aplicativo rodar na cidade.

As empresas de aplicativos, como 99taxi e Uber, estão em campanha aberta contra as regras dessas normas em todo país.  De acordo com notas divulgadas publicamente, eles criticam o excesso de burocratização, o requerimento de cadastros de motoristas e veículos junto à prefeitura, e também da obrigatoriedade do limite de idade veicular inferior ao dos taxis, que é de 10 anos.

 

Nova secretária de educação é funcionária do quadro da Semed há 34 anos
Quarta, 10 Janeiro 2018 16:28

Nova secretária de educação é funcionária do quadro da Semed há 34 anos

Escrito por Portal OESTADONET

A pedagoga e especialista em orientação educacional e supervisão escolar Mara Regina Xavier Belo foi nomeada na tarde desta quarta-feira(10) para o cargo de secretária municipal de educação de Santarém pelo prefeito Nélio Aguiar. A nova secretária exercia a função de assessora da região do planalto santareno, que passa a ser ocupada pela professora Marluce Pinho, que deixa o comando da Semed.

Mara Belo é licenciada em pedagogia pela Universidade Federal do Pará(1996), já atuou como professora, diretora e vice-diretora de escola da rede municipal de ensino. É concursada da Semed, em 1984, e da SEDUC no cargo de especialista em educação, em 2008. Atuou como professora de pedagogia no Parfor/UFOPA.

Organização do carnaval proíbe mela-mela em Alter do Chão
Terça, 09 Janeiro 2018 12:03

Organização do carnaval proíbe mela-mela em Alter do Chão

Escrito por Portal OESTADONET

Segundo informações da assessoria de imprensa da Prefeitura de Santarém, " na noite de segunda-feira (8), em Alter do Chão, com a participação de representantes da Assessoria Distrital, Conselho Comunitário e Clube de Mães, houve unanimidade sobre a não utilização do amido de milho, espuma e derivados desta mistura".

Os dias de folia, em fevereiro, serão domingo (11) e segunda-feira (12), no Lago dos Botos, e incluindo no segundo dia, a folia no Coreto da Praça Sete de Setembro.

Uso de estaca injetada de concreto vai acelerar obra de recuperação do cais de arrimo de Santarém

A construtora Mello de Azevedo está utilizando nas fundações e base do trecho de 1.640 metros do cais de arrimo que a prefeitura de Santarém está reconstruindo e ampliando um sistema de estacas  injetadas para  fundações, denominada pressoancoragem (microestacas). Ideal para aplicação em terrenos com presença de lençol freático, essa tecnologia permite a montagem de fundações com diâmeto menor das peças, o que facilita a perfuração e diminui o custo.

Esta semana, essas obras estruturais na orla já alcançaram todo o trecho compreendido entre o final da terceira etapa do cais, inaugurado recentemente pelo prefeito Nélio Aguiar e o ministro Helder Barbalho, e o porto improvisado da praça Tiradentes. A empresa que executa a obra espera concluir esta etapa em todo o trecho até o início de fevereiro, quando as águas do rio Tapajós já estiverem atingindo a orla da cidade.

Segundo o Portal OESTADONET apurou o uso dessa tecnologia deve permitir que todas as fundações, pilares e placas de contenção do aterro estejam concluídos até junho, quando a enchente alcança seu maior pico. Se essa previsão se confirmar, o prazo de conclusão total do trecho final do cais de arrimo, até a Vera Paz, poderá até ser antecipado.

Ainda segundo a empresa, mesmo que o rio Tapajós atinja a sapata da estrutura, o assentamento das placas poderá ser feito acompanhando a subida das águas. A empresa sustenta que o processo utilizado é diferente do utilizado nos outros três trechos já ampliados, pois apesar de ser mais caro, com a utlização de microestacas, permite rapidez no ritmo das obras.

A segurança, nesse caso, é a mesma, garante a empresa, que subcontratou uma empresa especializada, a Soegel, para a executar o serviço de pressoancoragem, método pelo qual as estacas são montadas com injeção de concreto por meio de um tubo que atravessa uma base(sapata) até atingir uma profundidade de cerca de 10 metros. Com isso, há redução do tamanho do bloco e o esforço do peso do aterro sobrecai sobre as estacas e não sobre as placas, o que gera maior estabilidade em toda estrutura.

 

Em 2018, faça um trânsito mais humano
Sexta, 05 Janeiro 2018 11:19

Em 2018, faça um trânsito mais humano

Escrito por Portal OESTADONET

Cuidado nunca é demais quando estamos falamos de vidas. Diariamente, cerca de 3 mil pessoas morrem em decorrência de acidentes de trânsito, no mundo. O Brasil aparece em 5º lugar no ranking mundial de mortes no trânsito. Medidas simples, como cuidar do outro e não infringir as regras do Código de Trânsito Brasileiro - CTB, podem colaborar para um tráfego mais seguro. Será que você faz a sua parte? Confira as dicas do DP Auto que podem ser úteis para um trânsito mais humano.

1. Esqueça o celular
Todas as coisas que te fazem perder a atenção do volante podem ser muito perigosas. Enquanto dirige, procure focar na atividade, pois qualquer descuido pode ser fatal.

2. Respeite e não deixe de usar a faixa de pedestre
Pense que você também pode ser pedestre e certamente vai precisar usar a faixa. Coloque-se no lugar do outro e respeite. Ainda que o semáforo esteja fechado para os transeuntes ou não exista sinalização, se for possível, você pode parar.

3. Se beber, não dirija
Embora clássica, a frase precisa ser lembrada. A mistura, que não combina nada, ainda é recorrente e está entre as principais causas de acidentes e mortes no trânsito. Então, se for beber, faça um planejamento e não saia de casa dirigindo.

4. Use o cinto
O uso do cinto de segurança é imprescindível e obrigatório para todos que estão dentro do veículo, até mesmo para os caronas de trás. Em caso de acidentes, o equipamento pode salvar vidas.

5. Respeite o limite de velocidade
Os limites de velocidade existem para colaborar para com um trânsito mais seguro. Muitos acidentes acontecem porque alguns motoristas não respeitam os limites de velocidade local ou se arriscam em ultrapassagens perigosas.

6. Seja responsável, cuide de quem está do seu lado (dentro ou fora do carro)
Procure manter uma boa distância do carro à sua frente para que você tenha tempo de reagir em caso de imprevistos. Lembre-se do uso obrigatório dos faróis e procure sinalizar os contratempos durante as viagens para os amigos condutores.

7. Observe o seu veículo
Fazer revisão é essencial: tente sempre checar o nível de água e óleo, ver como está o estado dos pneus, a parte elétrica, como as luzes de freios, piscas, lanterna e painel, e olhar como anda o funcionamento dos freios, dos faróis e da suspensão. Tudo para não ter imprevistos. 

 

Prefeitura recebeu do Governo Federal cerca de 80 milhões de reais para obras de infraestrutura e esporte e lazer em Santarém, em 2017

Foram depositados na conta bancária da Prefeitura de Santarém, desde o dia 5 de junho até 27 de dezembro de 2017, cerca de 80 milhões de reais de recursos federais liberados, mediante convênio, pelo presidente Michel Temer para obras de infraestrutura de saneamento, pavimentação de vias, construção de praças e centro de esportes, além de aquisição de patrulha mecanizada, no município de Santarém.

A maior liberação no ano foi feita no dia 27 de dezembro para segunda fase do projeto Orla, no valor de 50,6 milhões de reais.

Levantamento do Portal OESTADONET a partir das comunicações enviadas pela Controladoria Geral da União, através do Portal da Transparência, mostram que o prefeito Nélio Aguiar recebeu dezenove liberações de recursos federais no período de 5 de maio a 27 de dezembro, que variam de 30 mil de reais a 50,6 milhões de reais. A maioria das obras cujos recursos foram destinados está em andamento ou preste a iniciar.

No dia 5 de junho, o Ministério da Integração Nacional repassou 53 mil reais par ações de socorro e assistência a atingidos por vendaval e enchente. No dia 18 de agosto, a prefeitura recebeu do Ministério das Cidades 142 mil reais para instalação de sistemas de água no Tabocal e Jacamim. No mesmo dia, foram depositados pelo Ministério das Cidades 219 mil para pavimentação de vias urbanas. Antes, no dia 11, o Ministério do Turismo liberou 101 mil para a segunda etapa da arena de eventos.

Em setembro, dia 4, o Ministério do Turismo transferiu para a conta da prefeitura de Santarém 122 mil reais para a construção da primeira etapa da praça de eventos e 233 mil para a segunda etapa dessa obra. No dia 22, o Ministério das Cidades liberou 111 mil reais para obras de saneamento nos bairros de Fátima, Aldeia, Santa Clara, Prainha, Santíssimo, Interventoria, Jardim Santarém, Aparecida e Jardim Santarém.

No dia 5 de outubro, o Ministério da Agricultura depositou 292 mil reais para compra de uma patrulha mecanizada e no dia 16, mais 295 mil reais para outro equipamento. No dia 19 de outubro foram liberados 267 mil reais para prosseguimento de obras de saneamento em 9 bairros da cidade.

O Ministério dos Esportes liberou no dia 27 de outubro 425 mil reais para construção do Centro de Iniciação Esportiva, 782 mil reais no dia 29 de novembro e 684 mil reais no dia 22 de dezembro.

A segunda maior liberação foi feita pelo Ministério da Integração Regional no dia primeiro de novembro: R$ 21,6 milhões para obras de reconstrução e ampliação de 1.600 metros do cais de arrimo de Santarém. No último dia 22, o Ministério do Desenvolvimento Social liberou 135 mil reais para a construção de um centro de referência e assistência social(CRAS).

No dia 30 de novembro, o Ministério das Cidades liberou 139 mil para pavimentação asfáltica da alameda 30, no Aeroporto Velho.

No dia 20 de dezembro o Ministério das Cidades liberou 1, 6 milhão de reais para obras de saneamento em 8 bairros da cidade e 1,7 milhão de reais para obras de melhorias em unidades habitacionais.

Ainda no dia 20, o Ministério do Turismo liberou 175 mil eais para obras da praça do Çairé e 30 mil para drenagem em estrada vicinal entre Alter do Chão e Pindobal.

 

Jatene garante pagamento de 13º e salário de dezembro no período de 15 a 28 deste mês

O governador Simão Jatene garantiu o pagamento do 13º salário e o salário de dezembro dos servidores estaduais ativos, inativos e pensionistas do poder executivo no período de 15 a 28 de dezembro. Neste final de ano, são mais de R$ 742,3 milhões que serão injetados na economia paraense, informou a secretária de Estado de Administração, Alice Viana.

A parcela única do décimo-terceiro salário será paga pelo governo paraense entre os dias 15 e 20 dezembro, beneficiando 150 mil servidores públicos. Na sequência, terá início o pagamento do salário referente ao mês de dezembro. “O pagamento dos salários de dezembro começa no dia 26 e termina no dia 28. As duas folhas somam mais de R$ 1,5 bilhão circulando na economia”, assegurou a secretária.

Após 22 dias, operação de içamento do empurrador da Bertolini é concluída

A empresa holandesa Smit concluiu na manhã desta terça-feira(5) o içamento do empurrador da Bertolini que naufragou no Rio Amazonas, dia 2 de agosto, após colisão do comboio de balsas que conduzia com o navio mercante Mercosul Santos.

A operação durou 22 dias, desde a chegada dos equipamentos da Holanda. 

Os peritos criminais do laboratório forense do CPC Renato Chaves iniciaram nesta segunda-feira (11) o exame de DNA que identificará as nove vítimas do acidente com o empurrador TBL CXX, ocorrido no dia 2 de agosto deste ano, próximo do município de Óbidos, no Baixo Amazonas. Os materiais genéticos das vítimas e de seus familiares chegaram ao Centro na manhã do último dia 8.

Os materiais foram coletados na unidade regional do Centro de Perícias de Santarém, para onde os corpos foram encaminhados, e ficarão armazenados em câmaras frigorificas até a conclusão do exame.

Para que o material dos familiares fosse coletado, já que três residem nos Estados do Maranhão, Amazonas e São Paulo, a Unidade Regional de Santarém pediu apoio da Polícia Técnica Científica dos respectivos estados, que encaminhará as mostras diretamente para Belém, com previsão de chegada nos próximos dias. Os demais familiares tiveram seus materiais coletados na própria unidade.

Aulão de hidroginástica em Alter do Chão, mostrado na TV, não foi ministrado por profissional habilitado

O aulão de hidroginástica no Lago Verde, que contou com a participação de integrantes do grupo de maioridade que funciona no Centro de Referência de Assistência Social(CRAS) de Alter do Chão, exibido no programa 'Como Será?' da Rede Globo, no último sábado(2), não foi ministrado por um profissional de educação física, como exige a legislação federal.
Jorge Miranda, representante do Conselho Regional de Profissionais de Educação Física em Santarém, informou nesta segunda-feira(5), que o órgão vai apurar a prática de exercício ilegal da profissão.
O Portal OESTADONET apurou que Raimundo Emídio de Oliveira, que aparece concedendo entrevista e comandando o aulão de hidroginástica à frente do grupo não tem formação superior específica, apesar de possuir uma vasta experiência de forma voluntária em projetos sociais na vila de Alter do Chão,  inclusive aulas de natação para crianças e idosos.
O Portal OESTADONET também apurou que a Secretaria Municipal de Assistência Social(Semtras) já tomou conhecimento da irregularidade e prometeu que, no reinício do projeto, no período de enchente, haverá um profissional qualificado para dar aula de hidroginástica aos idosos.

Vereador Reginaldo Campos renuncia ao mandato para tentar sair da prisão

A estratégia da defesa do vereador Reginaldo Campos aposta que a renúncia ao mandato, apresentada nesta segunda-feira(4) à mesa diretora da Câmara Municipal de Santarém, vai facilitar a liberação do parlamentar, que cumpre duas prisões preventivas.

Reginaldo, segundo seus advogados, ao se afastar do mandato faz um gesto à Justiça de que não vai interferir nas investigações da Operação Perfuga, que lhe levou a cadeia no dia 7 de julho, no primeiro inquérito, e a segunda, pela farra dos combustíveis durante sua gestão na presidência da Câmara.

Fora do mandato, ainda segundo os advogados o vereador, que é acusado de formação de organização criminosa e tráfico de influência para alterar lista de atendimentos no SUS, vai se dedicar exclusivamente a ampla defesa.

Com a renúncia de Reginaldo, assume o primeiro suplente Mano Dadai.

Mais de 200 pessoas devem ser ouvidas em audiência do processo da operação Perfuga

O juiz Rômulod Nogueira de Brito reservou o Salão do Tribunal do Júri para ouvir os depoimentos de 28 réus e de cerca de 180 testemunhas no processo que apura crimes de improbidade administrativa, da Operação Perfuga, iniciada em fevereiro deste ano.

Entre os réus está o ex-vereador e ex-presidente da Câmara, Reginaldo Campos, que está preso há cerca de 4 meses, no quartel do Terceiro Batalhão da PM.

Chapa de Hugo Diniz vence consulta para nomeação de reitor da UFOPA

Ao vencer em duas categorias e obter expressiva votação na terceira, Hugo Diniz lidera a consulta realizada sobre o primeiro nome que deve compor a lista tríplice que foi votada pelo Conselho Superior Universitário(Consun) para encaminhamento ao Ministério da Educação para nomeação do próximo reitor da Universidade Federal do Oeste do Pará( UFOPA).

A consulta foi realizada terça-feira(5) em seis locais de votação nos campi da UFOPA na zona urbana e seis em cidades da região. Votaram professores, alunos e técnicos.

Candidato de oposição, Hugo  Diniz, de acordo com apuração parcial de mais de 85 por cento dos votos não tem mais possibilidade de ser alcançado pelos quatro candidatos concorrentes.

Candidato da chapa 1, formada com Aldenize Xavier, Hugo Diniz venceu com larga margem nas categorias de professores e estudantes. Na categoria dos servidores ficou praticamente empatado com o segundo colocado.

Irmão Ronaldo deixa a Pastoral do Menor para trabalhar com formação de religiosos em Belo Horizonte

O irmão Ronaldo Hein, da Congregação de Santa Cruz, que coordena a Pastoral do Menor da Diocese de Santarém, vai assumir a subcoordenação da casa de formação de religiosos que a entidade vai implantar em Belo Horizonte, a partir de janeiro de 2018.

Irmão Ronaldo chegou a Santarém em 1968 para atuar no Colégio Dom Amando, onde lecionou Ciências e Religião. Antes, em 1965, passou uma temporada no Rio de Janeiro, onde aprendeu a falar português. Mas sua atuação ficou marcada a frente da Pastoral do Menor, entidade que atua há mais de três décadas em apoio a menores em situação de risco social e suas famílias.

"Recebi o convite do irmão paraibano Edson Pereira para auxiliá-lo na implantação de uma casa de formação em Belo Horizonte. Serão três de nossos alunos da Congregação de Santa Cruz que concluíram a formação no Peru e Chile que, agora, vem ao Brasil para cursar Teologia, que precisarão ser orientados por nós", contou irmão Ronaldo, que viaja dia 5 de janeiro para lá.

Santarém sofre com queda de transferência de recursos federais

O município de Santarém, na região Oeste do Pará é um dos municípios do Brasil que tem sofrido com a queda nos valores das transferências de recursos federais, como o Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

Fazendo um comparativo entre os anos de 2016 e 2017, conforme dados da Confederação Nacional dos Municípios, até 10 de dezembro de 2017, Santarém registrou uma perda de 8,3% no valor do FPM

Com o Fundeb – recurso distribuído a todos os municípios para aplicação exclusiva na educação básica - não tem sido diferente. A diminuição no valor desse recurso foi de 10%,comparando o ano de 2016 com 2017.

A queda destes recursos federais tem provocado graves desajustes nas contas públicas municipais, mas mesmo com a crise, a gestão atual tem buscado com muitas dificuldades manter o equilíbrio fiscal.

Jatene confirma que Márcio Miranda é candidato dos tucanos ao governo

O governador Simão Jatene confirmou ao Portal OESTADONET que o deputado estadual Márcio Miranda(DEM) será o candidato dos tucanos à sucessão dele no governo do estado nas eleições de 2108. Afirmou ainda que, caso necessário, cumprirá integralmente o mandato, desistindo de uma provável candidatura ao Senado.

A revelação foi feita por Jatene em conversa com o jornalista Miguel Oliveira, logo após o encerramento da solenidade de assinatura da ordem de serviço para construção de terminais hidroviários na região, na noite de sexta-feira(24), no auditório da Associação Comercial e Empresarial de Santarém.

Na rápida entrevista, exclusiva, perguntado se o vice-governador Zequinha Marinho poderia assumir o governo em definitivo, Jatene foi taxativo: "Essa possibilidade não existe. Ou saímos os dois ou eu fico no governo até o final', descartando um hipotético acordo para que Marinho comande a campanha de Márcio Miranda ao governo e a dele ao Senado.

O editor perguntou a Jatene:

_ Governador, o senhor é candidato?
Ainda não está definido.
- Quem é o candidato ao governo?
O Márcio Miranda, tá definido!
_ O Zequinha assume o governo?
Não. Essa possibilidade não existe. Ou saímos os dois ou eu fico até o final do mandato.
_Mas aí o senhor não é candidato e nem permite que sua filha Izabela seja?
Eu tenho que resolver primeiro essa situação das outras candidaturas para depois pensar no que eu vou fazer. Se precisar, eu fico no governo.

Prefeitura anuncia interesse em rescindir contrato com a Cosanpa

A Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa) não está cumprindo as metas do contrato assinado com a prefeitura de Santarém para produção e comercialização de água encanada. 

Na manhã desta segunda-feira(20) pelo prefeito de Santarém Nélio Aguiar, durante entrevista, anunciou que o município está disposto a rescindir o contrato de gestão com a Cosanpa.

Para que essa decisão seja concretizada, a prefeitura abriu chamada pública à empresas interessadas em participar da elaboração de estudos técnicos que vão definir modelo de exploração, gerenciamento e distribuição de água em Santarém.

Já se habilitaram quatro empresas: Servi, Águas do Brasil, Aegea e MPB  Engenharia Sa. Conhecido o vencedor desta etapa, a prefeitura vai definir se haverá licitação visando terceirização dos serviços de saneamento, sistema misto ou exploração parcial, mantendo o município o gerenciamento.

O contrato de execução decorrente do convênio entre Prefeitura de Santarém e a Cosanpa foi aprovado pela Câmara, e assinado no dia 20 de fevereiro de 2013, na gestão do ex-prefeito Alexandre Von.

Mudanças na CLT começam a valer; confira o que muda

Aprovadas em junho pelo Congresso Nacional, as novas regras trabalhistas começam a valer com a expectativa de que o governo ainda revise pontos sensíveis por medida provisória ou projeto de lei. Atualizações nas regras do trabalho intermitente, na possibilidade de que grávidas trabalhem em ambientes insalubres e na jornada de 12 horas seguidas por 36 horas de descanso devem chegar às mãos dos deputados a partir de segunda-feira.

Quanto às outras questões, mesmo após os quatro meses de quarentena desde a sanção do texto pelo presidente Michel Temer, existem dúvidas sobre o que começa a valer de imediato. Como a reforma mexeu em mais de 100 pontos da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), nem os especialistas conseguem prever precisamente o que será implementado sem necessidade de regulamentação.

Sob o mote de que o que for acordado entre as empresas e os sindicatos valerá mais do que a lei, praticamente todas as mudanças podem ser aplicadas desde hoje, até para quem já tem contratos assinados, “contanto que não mexam nos direitos adquiridos dos trabalhadores”, explicou o advogado trabalhista Lucas Sousa Santos, do escritório Sousa e Mendonça Advogados. A partir desse entendimento, a divisão das férias de 30 dias em até três parcelas, por exemplo, não precisa de revisão contratual para ser colocada em prática: deve valer para todos os empregados, tanto os que já fazem parte do quadro de funcionários quanto os que serão contratados a partir de agora. “O entendimento majoritário é que essa possibilidade beneficia o trabalhador, dando mais flexibilidade no gerenciamento das férias. Então, não deve trazer problemas para as empresas que já resolverem aderir”, explicou Santos.
Sem restrição

A novidade vale até para funcionários que têm mais de 50 anos de idade, que, até ontem, eram proibidos pela CLT de dividir as férias. “O artigo que vedava essa possibilidade fica revogado a partir de amanhã”, esclareceu o advogado Fabio Medeiros, especialista em direito trabalhista do Lobo de Rizzo Advogados. Ele ressaltou que a divisão pode ser combinada com o empregador, ainda que se trate de férias que estejam acumuladas, prontas para serem usadas. A negociação entre as partes é o ponto-chave dessa e de todas as outras mudanças, reforçou o especialista. Em geral, “não tem problema alterar contratos em curso, desde que o empregado queira”, considera o advogado trabalhista James Augusto Siqueira, do Augusto Siqueira Advogados.

Decreto de Nélio autoriza loteamento de 1 milhão de metros quadrados para Buruti, no Juá, mas área verde do projeto é de apenas 27 mil

O prefeito Nélio Aguiar assinou decreto restabelecendo a aprovação do loteamento Cidade Jardim que foi liberado em setembro de 2012 pela ex-prefeita Maria do Carmo, na área do lago e igarapé do Juá, e revogado, em 2013, na gestão do ex-prefeito Alexandre Von. Com a medida, a Sisa Salvação Empreendimentos Imobiliários Ltda. pôde receber da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), as licenças de Operação da Área 1, para comercialização de 2.304 lotes residenciais, e da Área 2, para atividade de extração de bens minerais, em Santarém.

LEIA TAMBÉM

Buruti recebe licença fracionada da Semma para loteamento no Juá

Pelo projeto autorizado pela prefeitura, o loteamento Cidade Jardim, do grupo Buriti, encontra-se dentro da zona de expansão urbana do município, com área total de 995.417 metros quadrados, distribuídos em 69 quadras, contendo 2.613 lotes vendáveis, sendo 2.304 lotes residenciais e 309 lotes comerciais. De cerca de 1 milhão de metros quadrados do loteamento, 342 mil metros quadrados são de áreas consideradas públicas, que inclui o sitema viário e áreas institucionais.

Dessas áreas públicas, apenas 27 mil metros quadrados estão destinados à recomposição da cobertura vegetal removida para a implantação do loteamento. São menos de 10 por cento das áreas públicas, e um percentual de áreas verdes ainda menor se comparado ao total de cerca de 1 milhão de metros quadrados do loteamento: em torno de 2,5%. Do projeto original de 493 hectares, foram devastados 290 hectares de cobetura vegetal.

PF prende Duciomar Costa, o Dudu, ex-prefeito de Belém

O ex-senador pelo Pará e ex-prefeito de Belém Duciomar Gomes da Costa (PTB), conhecido como "Dudu", foi preso nesta sexta-feira (1º) pela PF (Polícia Federal). Costa é suspeito de comandar uma organização criminosa que teria causado um prejuízo de 400 milhões de reais aos cofres públicos, segundo o Ministério Público Federal.

A operação, chamada "Forte do Castelo", mira fraude em licitações e desvios de recursos públicos, em um esquema que envolvia "pessoas, cujos vínculos profissionais, familiares e pessoais orbitam em torno de ex-prefeito", diz a PF.

Relembre os principais fatos de Santarém e região Oeste do Pará
Terça, 02 Janeiro 2018 11:21

Relembre os principais fatos de Santarém e região Oeste do Pará

Escrito por Portal OESTADONET

Janeiro- Nélio toma posse, carnaval na praça da Bíblia, vacinação contra aftosa em alta, primeiro transplante de rim, Çairé em nova data, trânsito com recorde de infrações, professora vítima de tortura, morre Ronaldo Campos...

Fevereiro - Câncer em crianças, crime de bicicleta, saque do FGTS inativo, Bolsa Família sustenta muita gente, pajés e benzedeiras perseguidos, crise engole empregos, febre amarela dá sinais, torturadores indiciados, raio-x da violência...

Março - Soja fica atolada na BR, índios mortos na ditadura, madeira rastreada desde a origem, licença para linhão dos chineses, lei da gorjeta, febre amarela mata quatro, carne suspeita, granja fechada, Von assume CPH, fraude no seguro-defeso...

Abril – Chineses na Amazônia, Ufopa multicampi, bariátrica no HRBA, peixe de cativeiro no cardápio, segundo linhão leiloado, bagagem aérea paga, mudança no trânsito, emergência em Monte Alegre, vacinação em massa contra febre amarela

Maio - Maconha no aeroporto, tarifa de ônibus a R$ 2,70, maconha medicinal, vereador se mete em confusão, tornado no rio Tapajós, Alenquer isolada por terra, torturadores denunciados, meio século de manganês...

Junho- Subtenente morta com o próprio revolver, Eia/Rima para ferrovia, Oriximiná, Óbidos e Monte Alegre em emergência, Jatene inaugura escola tecnológica, HMS e UPA terão gestão terceirizada, ouro da discórdia entre índios, Osmando esfaqueia rival..

Julho - Médico pedófilo é preso, crime contra dignidade sexual, álcool & crack, um crime amazônico, banho monitorado, funcionária da Semma denuncia vereador, mapa da violência em Alter do Chão, morte de prefeitos, petróleo na Amazônia... 

Agosto - Naufrágio do empurrador deixa 9 desaparecidos, Fordlândia e Jari, Reginaldo Campos é preso, crise fiscal em Santarém, rios viram túmulos, meio século de exploração em Carajás, polêmica reserva de cobre... 

Setembro - Royalty milionário de Juruti, dinheiro para orla, sete naufrágios, Çairé, Corrupção no BEC, Tucuxi tricampeão, cabelo atesta mercúrio, chegam os venezuelanos, Lula candidato...

Outubro – Leilão de outorga de rádio e tv, orelhão gratuito, diplomas falsos, residencial emperrado, venezuelanos mendigos, manobra no ar fatal, médico pedófilo condenado, liberado dinheiro para orla, Santarém violenta...

Novembro – Jatene anuncia Márcio Miranda candidato ao goveno, ex-prefeito de Belém é preso, hidroginástica pirata em Alter do Chão, Buriti liberada pela prefeitura, mudanças na CLT começam a valer, Município anuncia rompimento de contrato com Cosanpa

Dezembro -Empurrador da Bertolini é içado e 9 corpos são encontrados, hidroginástica pirata em Alter do Chão, Jatene garante pagamento de dezembro e 13 salário, começam audiências da operação Perfuga, Hugo Diniz vence consulta para reitoria da UFOPA, irmão Ronaldo deixa a Pastoral do Menor, queda de repasses federais

Outubro – Leilão de outorga de rádio e tv, orelhão gratuito, diplomas falsos, residencial emperrado, venezuelanos mendigos, manobra no ar fatal, médico pedófilo condenado, liberado dinheiro para orla, Santarém violenta...


Suspenso leilão dos direitos de outorga da TV Ponta Negra

Acatando aos argumentos da defesa da emissora, que apontou irregularidades e ilegalidades no edital de leilão e no valor da avaliação dos bens da TV Ponta Negra e de seus sócios, a juíza Bárbara Oliveira Moreira, que responde pela Primeira Vara Empresarial da Comarca de Santarém, suspendeu nesta segunda-feira(2) o leilão dos bens requeridos em partilha de patrimônio, entre os quais constavam outorgas de concessão de direito público de exploração de serviços de rádio e televisão.
" A suspensão do leilão é medida impositiva com o fim de se regularizar as pendências existentes e, com isso, garantir que a expropriação ocorra de acordo com a legislação processual vigente e possa
atender aos interesses do executado, exequente e terceiros credores. Em casos de
dúvidas desse jaez, outro caminho não resta senão a suspensão do leilão", escreveu a magistrada.
E concluiu: "Para evitar prejuízos irreparáveis a quaisquer das partes e a terceiros, e em especial, para evitar quaisquer nulidades insanáveis, determino a suspensão do leilão que se realizaria no dia 3/10/2017 a fim de verificar se existem de fato irregularidades a serem sanadas."

Ligações de orelhão passam a ser gratuitas no Pará até março de 2018

As ligações locais e de longa distância nacional realizadas a partir orelhões da Oi agora são gratuitas no Pará e mais 14 estados.

A determinação é da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) em razão do não cumprimento de obrigações por parte da concessionária.

A medida, que começou a vigorar no último domingo (1), também vale para outros 14 estados brasileiros: Alagoas, Amapá, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Roraima, Santa Catarina e Sergipe.

A Oi foi responsabilizada após uma fiscalização da Anatel constatar o percentual de orelhões em condições de operação abaixo dos patamares estabelecidos pela agência, que deve ser de, no mínimo, 90% em todas as Unidades da Federação e de no mínimo 95% nas localidades atendidas somente por orelhões.

De acordo com a Anatel, a gratuidade se manterá até o dia 30 de março de 2018, quando deverá ser divulgado o resultado da próxima aferição das condições de disponibilidade dos orelhões. A nova aferição deve ser realizada no final de fevereiro de 2018.

Semed confirma falsificação de diplomas e exonera nove professores da educação infantil em Santarém

A Secretaria Municipal de Educação (Semed), emitiu nota oficial no final da manhã desta quarta-feira(4) para esclarecer que, "após receber denúncias de que havia no quadro de Umei's e Emei's da rede municipal indícios de professores com diplomas falsos, acionou o setor de Recursos Humanos (RH) para que levantasse a documentação de todos os servidores. Ao final do levantamento, foi detectado que os diplomas de Magistério de nove professoras tinham indício de falsificação".

Ainda segundo a nota, a Semed enviou ofício à instituição que, em tese, teria emitido os diplomas, perguntando sobre a veracidade dos documentos; período em que foi cursad e o histórico escolar.

A Semed obteve como resposta que os documentos não tinham sido expedidos pela instituição. Em consequência disso, os nove servidores foram exonerados. O setor jurídico da Semed informa que o caso será encaminhado aos órgãos competentes para a devida apuração.

Associação dos Moradores do Aeroporto Velho não terá prioridade em apartamentos do residencial Moaçara, decide Justiça Federal

A Justiça Federal em Santarém, na região oeste do Pará, negou pedido da Associação de Moradores do Bairro do Aeroporto Velho (Ambave) para que seus associados tivessem prioridade como beneficiários de parte dos 1.400 imóveis do Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV) construídos no Condomínio Residencial Moaçara, na periferia da cidade.

A sentença (veja aqui a íntegra), prolatada nesta quarta-feira (04), o juiz federal substituto da 1ª Vara Federal, Felipe Gontijo Lopes, não apenas autoriza que os agentes executores do Minha Casa Minha Vida deem continuidade às medidas de finalização do empreendimento de distribuição das unidades habitacionais como torna sem efeito liminar que o próprio magistrado concedera em junho deste ano, mandando suspender o processo iniciado pela Prefeitura de Santarém para cadastrar os interessados nas moradias.

Leia mais aqui.

Mendicância se sobrepõe aos esforços de ajuda aos refugiados venezuelanos em Santarém

Os órgãos que designaram representantes para formação de una comissão intersetorial que está prestando assistência aos venezuelanos refugiados em Santarém ainda não encontraram uma solução, mesmo que temporária, para evitar que menores perambulem com suas mães pelas ruas da cidade para pedir dinheiro e comida.

O que se vê nas ruas de Santarém e no Mercado 2000 é cada vez mais a presença desses refugiados na mendicância, enquanto são realizadas infinitas reuniões e mais uma está marcada, dia 25, para que a Secretaria de Trabalho e Assistência Social (Semtras) informe quais medidas serão tomadas pelas esferas estadual e municipal.

Segundo a prefeitura, "também haverá um encontro, com data a ser definida, para tratar junto aos órgãos de proteção às crianças e adolescentes, formas adequadas de atuação quanto a ida das crianças com as mães ao Centro Comercial. Segundo pesquisas, os indígenas da etnia Waraos tem como estratégias de sobrevivência no contexto urbano, a prática de pedir, vender artesanato e receber doações."

Avião cai ao fazer manobras para festejar dia do aviador em Itaituba: cinco mortos

m avião monomotor, modelo Cesnna 210, prefixo PP-ORU, de propriedade da empresa Ourominas, caiu no final da tarde deste domingo(22) às proximidades da cabeceira da pista do aeroporto de Itaituba, sudoeste do Pará.

O piloto Diego Patrick Kroetz Alves Resende, o co-piloto Weverton Marinho e mais três passageiros morreram na queda -Belania Dantas, Rosa Werlang e Josenilde Oliveira - após manobra de exibição em comemoração ao Dia do Aviador, que transcorre nesta segunda-feira(23), data de nascimento do patrono da aviação, Santos Dummont.

Médico Álvaro Cardoso é condenado a 22 anos de prisão por crimes de estupro e pedofilia

Saiu hoje a sentença do juiz Alexandre Rizzi no processo em que o médico Álvaro Cardoso Magalhães respondia pelos crimes de estupro de vulnerável e pedofilia, juntamente com Odete Fritz e Darliane dos Santos.

O Portal OESTADONET apurou que a sentença, ainda sob segredo de justiça, condenou o médico a 22 anos de reclusão e as duas mulheres a 14 anos de prisão, todas as penas a serem cumpridas em regime fechado.

Alvaro, Odete  Darliane foram presos no dia 5 de julho deste ano, por ocasião da operação Anjo da Guarda, desencadeada pela Delegacia da Mulher, Ministério Público e Polícia Civil, que comprovou a existência de um esquema de abuso sexual de menores em Santarém.

Os menores -  uma menina de três anos e uma bebê de três meses de idade -. foram abusados sexualmente pelo médico e pelas duas mulheres, que marcavam encontro em motel usando aplicativo de celulares. O médico também colecionava filmes pornôs em seus equipamentos de informática e telefonia.

Alvaro Cardoso cumpre prisão preventiva no Centro de Recuperação do Coqueiro, em Belém, e Odete e Derliane estão custodiadas no quartel da PM de Santarém.

Helder libera 21 milhões para início das obras de ampliação do cais de arrimo de Santarém

O ministro da Integração Nacional Helder Barbalho publicou portaria no Diário Oficial da União para aprovar a destinação de mais de 72 milhões de reais para ações de prevenção em áreas de risco de desastres, a serem executadas em trecho de 1.640 metros do cais de arrimo de Santarém. As obras foram anuniciadas no dia 5 de setembro, mas ainda não foram iniciadas.

No documento, o ministro autoriza, também, a transferência para a conta da Prefeitura de Santarém da primeira parcela de 21,3 milhões de reais que serão investidos nas obras de ampliação, contenção, urbanização e instalação de trapiches de atracação e bombas de sucção ao longo da orla da cidade.

Os recursos correrão à conta da dotação orçamentária, consignada no Orçamento-Geral da União, para o Ministério da Integração Nacional.

Santarém ocupa 76º posição no ranking dos municípios mais violentos do Pará

O município de Santarém ocupa a 76º posição entre cento e quarenta e três municípios do Pará em que são registrados homicídios por arma de fogo. Da pesquisa, publicada no Mapa da Violência no Brasil 2016, não foi incluído o município de Mojuí dos Campos, criado em 2013. Os dados analisados pelo Portal OESTADONET referem-se ao período de 2012-2014.

Em Santarém, foram registrados 14 homicídios por arma de fogo em 2012, 14 em 2013, e 27 em 2014, praticamente o dobro em três anos.

No Pará, Ananindeua é a mais violenta dos municípios nove paraenses pesquisados, seguida por Marituba, quando são analisados os números de morte por armas de fogo em municípios com população superior a 10 mil habitantes. Em terceiro lugar aparecem Marabá e Moju, em quinto.

Da região Oeste do estado, Novo Progreso lidera o mapa da violência. O município é o 5º mais violento no estado e o primeiro na região. Altamira vem em 7º, Uruará ocupa a 32º segunda posição, Itaituba a 45º, Almeirim a 65º e Placas a 75º colocação nesse rankig.

Setembro - Royalty milionário de Juruti, dinheiro para orla, sete naufrágios, Çairé, Corrupção no BEC, Tucuxi tricampeão, cabelo atesta mercúrio, chegam os venezuelanos, Lula candidato...

Alcoa paga mais de 280 milhões de royalties e CEFEM à Juruti em oito anos

A Alcoa pagou 240 milhões de reais à prefeitura de Juruti durante oito ano como royalty, que é a compensação financeira pela exploração da bauxita que existe no subsolo do município, no extremo oeste do Pará, na divisa com o Amazonas.

A empresa americana, líder mundial no setor de alumínio, também repassou R$ 44,5 milhões para a Associação das Comunidades da Região de Juruti Velho. A Acorjuve tem direito a um percentual nos lucros da mineradora, em nome de 52 comunidades do assentamento Juruti Velho. Seu presidente está no início do segundo mandato de três anos.

No total, R$ 285 milhões, que pode ser uma proporção pequena do faturamento da Alcoa, mas é bastante dinheiro para um município como Juruti. Está sendo bem aplicado?

Mello de Azevedo recebe ordem de serviço para ampliar orla de Santarém

O ministro da Integração Nacional Hélder Barbalho assinou nesta terça-feira, na praça Tiradentes, a ordem de serviço para que a empresa Mello de Azevedo, vencedora da licitação realizada pela prefeitura de Santarém, execute as obras de construção de 1.640 metros do cais de arrimo da cidade.

Hélder Barbalho pediu empenho da prefeitura em agilizar o prazo de execução da obra e que a empresa contrate mão de obra local para gerar emprego e renda à população local.

O prefeito Nélio Aguiar fez um histórico das obras de ampliação e reconstrução da orla de Santarém desde a administração do ex-prefeito Lira Maia , com o primeiro trecho da praça do Pescador à praça da Matriz sendo executado também pela Mello de Azevedo. " Agora, depois de outros dois pequenos trechos, teremos a oportunidade de concluir toda a orla da cidade, o que vai fomentar o turismo em nosso município", afirmou.

Estiveram presentes à assinatura da ordem de serviço o ministro da Integração Nacional Hélder Barbalho, o prefeito Nélio Aguiar, o presidente da Mello de Azevedo, Nelson Parma de Azevedo, e o secretário de infraestrutura Daniel Simões.

Já são sete naufrágios no segundo semestre deste ano em rios do Pará. Nove desaparecidos e 23 mortos.

Marinha do Brasil aposta na conscientização da população ribeirinha, principal usuária dos rios como meio de transporte, para reduzir o número de acidentes fluviais nos rios da Amazônia. Segundo o chefe da capitania fluvial da Marinha em Santarém, Capitão Ricardo Barbosa, não há como fiscalizar individualmente cada embarcação que navega pelos rios da região, mas somente a conscientização da população sobre os riscos de naufrágios e colisões pode evitar tragédias.

“ A Capitania realiza seu trabalho de fiscalização, apesar das restrições que a dimensão da área nos submete, a Marinha tem procurado realizar um trabalho de conscientização junto à população ribeirinha com relação a segurança na navegação, nós procuramos ir as cidades, fazer palestras, principalmente nas escolas, junto às crianças, para que a gente possa incutir essa semente da segurança da navegação para toda a população com o objetivo de reduzir esses incidentes”.

Neste segundo semestre do ano, já são sete naufrágios em rios do Pará, com nove desaparecidos e 23 mortes. Na região sob jurisdição da capitania fluvial de Santarém, este ano, a Marinha contabiliza seis acidentes com vítimas, quatro no primeiro semestre. Mas segundo Ricardo Barbosa, esses números são menores em comparação aos anos anteriores quando, segundo a Marinha, houve 14 acidentes com vítimas fatais em 2015, e 10 acidentes em 2016 com mortes registradas. “A gente espera reduzir o número de acidentes este ano”, afirma o delegado da Marinha da Marinha em Santarém.

Busca de mastros dá início ao Çairé, em Alter do Chão

Já começou o Çairé 2017, em Alter do Chão, distrito de Santarém. O sábado de manhã foi dedicado à "Busca dos Mastros' - tradição que faz parte das atividades religiosas do ritual, que consiste na busca de dois troncos de árvores na mata fechada da cabeceira de Mucaem, às margens do Lago Verde.

A procissão fluvial durou cerca de 30 minutos. As catraias decoradas com fitas coloridas e conectadas por cordas às embarcações maiores formaram um imenso cordão de cores. À frente da procissão fluvial, uma das balsas catamarãs transportava os personagens principais do Çairé (Çaraipora, capitão, os rufadores, mordomos, mordomas, juiz, juíza e rezadeiras).

Os participantes caminharam cerca de 20 minutos pela praia e adentraram a mata na busca dos mastros. Localizados os troncos, foram formados dois grupos orientados pelos mordomos e pelas mordomas. Com os mastros nos ombros, em meio à área verde, foi realizada uma competição de quem chegava primeiro às margens do Lago. 

Após a retirada dos mastros, as embarcações retornaram à Praia da Gurita, conhecida como Praia do Cajueiro, e no meio do trajeto, assim como ocorreu na ida, todos receberam doses de tarubá - bebida indígena milenar, feita da massa da mandioca.

Os mastros serão enfeitados com folhas e frutas simbolizando a colheita e a fartura da região, permanecem guardados nas areias da Praia da Gurita, e na quinta-feira (21), serão erguidos na Praça, marcando a abertura oficial do Çairé.

Coronel e tenente que atuavam no 8° BEC são condenados por desvio de 4 milhões de reais destinados a obras na Br-163

O Superior Tribunal Militar (STM) condenou, na última terça-feira (19), sete pessoas envolvidas em um esquema de desvio de dinheiro público em obras sob a responsabilidade do 8º Batalhão de Engenharia  de Construção (8º BEC), quartel do Exército sediado em Santarém (PA).

Entre os condenados está o coronel Carlos Alberto Barbosa, Chefe da Seção Técnica do  do 8º BEC e o ex-1° tenente Pedro Pereira Vanderley. O comandante do batalhão, coronel Tomé, teve a punibilidade extinta por ter falecido durante o processo penal.

Os acusados foram condenados pelo crime de peculato, com penas variando de três a cinco anos de reclusão. As fraudes resultaram em um desvio de mais de R$ 4 milhões, com a participação de coronéis e outros oficiais do Exército, além de civis, dentre eles, empresários

Inicialmente os fatos faziam parte de um único processo, envolvendo 15 pessoas, e que posteriormente foi desmembrado em quatro ações penais. Um coronel do Exército, que era o comandante do 8º BEC, também foi denunciado pelo Ministério Público Militar (MPM), mas teve extinta a punibilidade em razão do seu falecimento no decorrer do processo.

Tucuxi é tricampeão do festival dos botos do Çairé 2017

Com um ponto de diferença, o Tucuxi conquistou o tricampeonato do festival dos botos do Çairé, diante do rival Cor de Rosa. É o décimo título da agremiação, que estava empatada com o Cor de Rosa, com 9 títulos.

Tucuxi obteve 475,5 pontos, enquanto que o Cor de Rosa recebeu 474,5 pontos do corpo de jurados formado por Otto Farias, Paulo Melo e Gabriela Farias. A mesa de apuração foi presidida por Vicente Malheiros da Fonseca. As impugnações foram indeferidas.

Os Botos foram avaliados com notas que vão de 7 a 10 nos quesitos: apresentador; cantador; rainha do Çairé; cabocla borari; curandeiro; rainha do artesanato; boto homem encantador; boto animal evolução; rainha do Lago Verde; carimbó; conjunto folclórico; alegorias; letra e música; ritual; torcida e sedução do boto.

O Tucuxi apostou no tema "A expressão do Çairé", enquanto o Rosa levou para o Lago "Arte do Som".

Estudo em fios de cabelo, cordão umbilical e placenta revela nível de mercúrio de acordo com padrões da OMS em cerca de 60% de gestantes atendidas pelo SUS em Santarém

Um estudo inédito na região Oeste do Pará investigou a presença de mercúrio, metal pesado altamente tóxico, em mulheres grávidas que utilizam o Sistema Único de Saúde no município de Santarém. A pesquisa foi realizada no âmbito do Programa de Pós-Graduação em Biociências da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) e contou com a parceria do Instituto Nacional para a Doença de Minamata do Japão (NIMD), referência mundial em estudos sobre contaminação de mercúrio.

A coleta dos fios de cabelo das gestantes foi realizada nos meses de setembro e outubro de 2016. Na ocasião, as grávidas também responderam a um questionário socioeconômico para saber sobre seus hábitos alimentares, com enfoque para a ingestão de peixes. Durante os partos, foram coletadas 90 matrizes fetais, sendo 45 cordões umbilicais e 45 placentas.

De acordo com a pesquisa, todas as gestantes avaliadas apresentaram concentração de mercúrio no cabelo, sendo 63% dentro dos limites estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que é de 1 a 2 microgramas de mercúrio por grama de cabelo. No entanto, 37% das grávidas apresentaram níveis acima do recomendado. "A média que encontramos foi de 1.98 µg/g, aproximada do valor limite. Mas também encontramos valores altos, de 7 a 8 µg/g de mercúrio, em algumas grávidas que consumiam muito peixe em suas dietas", revela Naelka Fernandes.

Grupo de refugiados venezuelanos chega a Santarém

Desde a madrugada desta quinta-feira(28) um grupo de refugiados venezuelanos está acampado na praça da Matriz. São 23 pessoas – 7 homens, 5 mulheres e 11 crianças-, que chegaram a Santarém a bordo do ferry boat São Bartolomeu, procedentes de Manaus.

Segundo dois líderes do grupo – Amicar Rodrigues, 23 anos, e Fernando Morales, 57 anos, que são índios da etnia Warao, os refugiados estão com a documentação pessoal em ordem, com registro de estrangeiro para solicitação de refúgio, expedido em Manaus, em agosto do ano passado.

Senadora Gleisi Hoffmann espera que justiça garanta candidatura de Lula à presidência

A presidente nacional do Partido dos Trabalhadores (PT) e senadora, Gleisi Hoffmann, que veio a Santarém para participar de um encontro de parlamentares e lideranças partidárias, foi taxativa: "o Lula será o nosso candidato, nós vamos lutar para isso. Mesmo uma sentença de segundo grau, de condenação, não é suficiente para impedi-lo de ser candidato, pois já tivemos outros casos no Brasil de candidatos que já foram autorizados a disputar eleição mesmo com sentença de segunda instância".

A senadora disse que o PT lutará em "todas as instâncias jurídicas" para garantir que Lula seja candidato. "Faremos uma denúncia internacional se tentarem impedí-lo", ressaltou, negando ter dito, dias atrás que o PT iria boicotar as eleições de 2018 caso Lula fique de fora do pleito. 

"Não tem essa de boicote, o PT vai participar das eleições, é uma trincheira de luta importantíssima, assim como a luta nas ruas com os movimentos sociais ao desmonte que o Brasil está passando". Perguntada se o PT possui dois pesos e duas medidas no caso das delações premiadas, em que contra os acusados do partido é tudo mentira e contra adversários é tudo verdade, Gleisi argumentou que, se fosse assim, o PT não teria soltado uma nota, afirmando que o Senado tem que ser respeitado, referindo-se à decisão do STF de manter o senador Aécio Neves sem o mandato e com restrições à sua liberdade de ir e vir.

Agosto - Naufrágio do empurrador deixa 9 desaparecidos, Fordlândia e Jari, Reginaldo Campos é preso, crise fiscal em Santarém, rios viram túmulos, meio século de exploração em Carajás, polêmica reserva de cobre...


Colisão de navio cargueiro com balsas da Bertolini, no rio Amazonas, deixa 9 desaparecidos

Um navio cargueiro colidiu com um comboio de nove balsas da empresa Bertolini Navegação, na madrugada desta quarta-feira(2), no rio Amazonas, a 10 milhas da foz do rio Trombetas, em Oriximiná, no oeste do Pará.

Segundo o capitão Ricardo Barbosa, delegado da Marinha em Santarém, nove tripulantes do empurrador do comboio, que afundou no rio Amazonas, estão desaparecidos. Dois sobreviveram.
O navio Santos, que pertence à empresa de navegação Mercosul, deixou o porto de Suape, em Pernambuco, com destino a Manaus.
O comboio de balsas descia o rio Amazonas, desde Porto Velho, com carregamento de milho que seria desembarcado no terminal da Cargill, em Santarém.

O acidente ocorreu, segundo a Marinha, às 04h30. As equipes de buscas formadas por militares da Marinha e do Corpo de Bombeiros seguiram para o local do acidente, às 11h30 e devem chegar ao local por volta de 14h30.
O comando do IV Distrito Naval também enviou, desde Belém, um navio-patrulha para auxiliar nas buscas.

Fordlândia e Jari, três datas amazônicas e americanas

Duas das maiores epopeias da história da Amazônia em todos os tempos, comandadas por dois dos maiores capitalistas da nação mais poderosa do mundo, completam suas marcas históricas em 2017. São os 90 anos da cidade de Henry Ford no vale do rio Tapajós, no Pará, e os 50 anos do projeto de Daniel Ludwig, no Jari, também no Pará, e ainda no Amapá. Ambas fracassaram.

Ford, o homem mais rico e dos mais poderosos da época, nunca chegou a ver o empreendimento que criara no meio da selva, distante 110 quilômetros em linha reta da cidade de apoio, Santarém (e 820 km da capital do Estado, Belém). Se desse certo, garantiria a borracha necessária para a maior indústria do mundo, que fabricava o mais famoso e mais vendido modelo de automóvel do mercado.

O projeto exigiu investimento pesado, mas sua concepção era simples. A principal fonte de látex era a seringueira, nativa da Amazônia. Levada para a Ásia pelos ingleses, ela se adaptou tão bem que rapidamente os países asiáticos superaram a produção amazônica e praticamente a eliminaram. A enriquecida economia amazônica desabou bruscamente, lançando a região numa espécie de Idade Média.

É que os plantios artificiais multiplicaram a densidade de árvores por hectare, incrementando a produtividade da extração da sua seiva. As seringueiras se espalhavam por grandes distâncias no ambiente nativo. Cortá-las era um trabalho penoso e de baixo rendimento. Mas se os seringais fossem transformados em densos plantios homogêneos da espécie, eles também poderiam adquirir a produção asiática e tornar a Ford autossuficiente dessa matéria prima estratégica para os pneus e vários componentes dos veículos.

As sementes que os ingleses obtiveram na mesma região na qual Ford se instalou tinham todas as qualidades do seu ambiente original. Mas não estavam sujeitas ao que estava além as árvores: insetos, fungos, mofo. Esses predadores eram contidos pela inigualável diversidade de espécies florestais que há na Amazônia, que funcionava como tela de proteção.

Derrubada a mata nativa e expostas as seringueiras em ambiente aberto, eles as atacaram letalmente. O enorme seringal que Ford pretendia plantar foi fulminado pelo seu principal inimigo natural, o mal das folhas, favorecido pela supressão da biodiversidade. Em 1945, depois de 18 anos de tentativas, ele entregou os pontos e se retirou da Amazônia vencido – e para sempre.

Quarenta anos depois que ele começou a sua história em torno de uma cidade americana que construiu nos trópicos, Fordlândia, o milionário extravagante (um dos últimos tycoons dos Estados Unidos) Daniel Keith Ludwig, do alto dos seus 70 anos, iria empreender iniciativa bastante semelhante.

Com capital intensivo, tecnologia de ponta e diretriz bem estabelecida, ele comprou uma empresa extrativista paraense que lhe daria acesso a pelo menos 1,6 milhão de hectares no vale do rio Jari, a maior propriedade rural do Brasil. Nela, produziria o bastante para saciar o que previa que viria a se tornar duas das maiores fomes mundiais, por fibras e grãos. Iria bater recordes mundiais de produção e produtividade de duas delas, celulose e arroz.

Para dar o pulo do gato nos concorrentes em matéria de fibras, ele inovaria: processaria uma árvore asiática, a gmelina, nunca antes utilizada como fonte de celulose. Ela permitia o primeiro corte bem cedo e ofereceria ganho maior por unidade. Era o caminho inverso ao da seringueira: da Ásia para a Amazônia, com uma escala de adaptação na Nigéria.

Vereador Reginaldo Campos é preso em Santarém

A Superintendência Regional do Baixo e Médio Amazonas, com o apoio do Ministério Público, deflagrou operação denominada “Operação Perfuga” que no latim significa “o desertor”.

O vereador Reginaldo Campos foi preso agora de Manhã. Outro mandado de prisão é contra enfermeira Sarah Campinas.

ATUALIZAÇÃO: Além de Reginaldo e enfermeira, advogados também são presos em Santarém.


A operação foi batizada com este nome porque os são investigados funcionários públicos que fraudavam a ordem de atendimento do SUS e também recebiam vencimentos sem trabalhar.

A Polícia Civil e Ministério Público estão cumprindo 2 mandados de prisão preventiva, 6 mandados de prisão temporária, 5 conduções coercitivas e 25 mandados de busca e apreensão.

Entre os locais de buscas estão a sede da Câmara Municipal de Santarém e a sede da SESPA em Santarém, e ainda em uma sala do hospital regional, onde funciona o setor de regulação da SESPA.

Santarém apresenta quadro de crise fiscal, aponta estudo da Firjan

Belém ficou em 8º lugar entre os municípios paraenses com boa gestão fiscal, segundo o ranking 2016 elaborado pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro. O índice da capital foi de 0,610, bem abaixo do município de Tucumã, que ficou no topo, com 0,7889.

Apenas nove dos 144 municípios do Pará foram classificados. Ananindeua (0,4451), Santarém (0,4676) e Marabá (0,3268) apresentam quadro de crise fiscal. Sobre dois terços deles (quase 85) não foi possível fazer avaliação: eles não apresentaram as informações necessárias.

O objetivo do estudo é avaliar como são administrados os impostos pagos pela sociedade pelas prefeituras, que administram um quarto da carga tributária brasileira, mais de 461 bilhões de reais, total que supera o orçamento do setor público da Argentina e do Uruguai somados.

O índice varia de 0 a 1 ponto. Quanto mais próximo de 1 melhor a situação fiscal do município. Cada um deles é classificado com conceitos A (gestão de excelência, com resultados superiores a 0,8 ponto), B (boa gestão, entre 0,8 e 0,6 ponto), C (gestão em dificuldade, entre 0,6 e 0,4 ponto) ou D (gestão crítica, inferiores a 0,4 ponto).

O estudo mostra que 937 prefeituras desrespeitaram a Lei de Responsabilidade Fiscal, não informando ao tesouro nacional como gastam os recursos públicos. Entre os cinco Estados menos transparentes, três são da região Norte. O Amapá lidera essa estatística: 14 de suas 16 cidades não apresentaram suas contas. Em seguida, o Pará, com quase dois terços das prefeituras sem entrega de dados, e Roraima com quase metade das cidades sem declaração de suas contas.

Os municípios que não declararam suas contas até 3 de julho não puderam ser avaliadas no IFGF. Rondônia foi o único Estado no qual todas as cidades apresentaram suas contas.

Rios do Pará e Amazonas são túmulos de vítimas de navegação

O barco Capitão Ribeiro saiu de fato de Santarém para Vitória do Xingu (declarando se dirigir para Prainha) na noite de segunda-feira. Devia navegar pelo rio Amazonas até o ponto de destino, a 150 quilômetros de distância. Um dia depois de desatracar, afundou no rio Xingu, fora do seu roteiro, a quase duas vezes a distância declarada, próximo a Porto de Moz. Seu ponto final era rio cima, em Vitória do Xingu, teria um percurso de 600 quilômetros.

A empresa diz que havia 48 pessoas a bordo. Já foram resgatadas 23 com vida e 21 mortas. Não há mais corpos dentro da embarcação, que está quase fora da linha d’água, encalhada num banco de areia. Não foi uma colisão o que provocou o seu afundamento.

Teria sido uma fatalidade: o barco foi colhido por uma tromba d’água. Por isso adernou tão rapidamente. Talvez alguns passageiros, que dormiam em rede, nem tenham tido tempo de reagir. Mais um fator aleatório a contribuir para o elevado número de vítimas.

No entanto, outros fatores respondem pela maior frequência de acidentes nos rios da Amazônia. A demanda pelo transporte fluvial aumentou muito, principalmente de carga, com destaque para soja, minérios e combustível, o que explica a colisão, uma semana antes, de uma balsa com um navio cargueiro, com nove mortes.

Capitão Ribeiro não estava totalmente irregular. Tinha licença da Marinha até outubro, mas apenas para ir até Prainha. A falha não o transforma em clandestino, mas sugere que seus donos não têm maior apreço pelo rigor e seriedade necessários para o transporte de pessoas juntamente com cargas, o que é regra no setor.

A apuração de tudo ainda levará tempo, mas é justamente o acúmulo de tempo que conspira para a repetição dos problemas e dos acidentes. A estrutura administrativa do poder público não acompanha a evolução da procura nem a complexidade da movimentação crescente de embarcações pelos rios da Amazônia, que há meio século foram deixados de lado em função da prioridade às estradas de rodagem.

Navios oceânicos passam ao lado de embarcações primitivas, criando um contraste inquietante. O aspecto do Capitão Ribeiro não inspira confiança nem sugere uma adequação da construção naval às condições atuais do fluxo de embarcações pela bacia amazônica. Há milhares delas em tráfego constante pelos rios.

Os piratas e ratos d’água parecem maios atentos a esse incremento do que as autoridades. Ou estão agindo em campo mais do que elas: os furtos de embarcações e os assaltos aos ribeirinhos são um desses sinais dos tempos que é preciso considerar adequadamente, sob pena de mais danos e tragédias nas vias aquáticas da região.

O Pará é o segundo Estado com mais mortos em acidentes de navegação ineterna no Brasil. Entre 2000 e 2015, 219 pessoas morreram dentro de embarcações no Estado, mais de 15% do total de 1.327 pessoas em todo Brasil no mesmo período posição. A liderança é do Amazonas, com 410 óbitos. Somados, os dois Estados, que possuem os maiores territórios da federação brasileira, tiveram 629 vítimas em seis anos, quase a metade (47%) do total nacional.

É para assustar.

Meio século de exploração mineral em Carajás

Meio século se passou. Neste ano, Carajás começa a contagem regressiva para o seu primeiro século de funcionamento. É uma província mineral única no conjunto do planeta. Tão rica que um chinês a considerou presente de Deus ao Pará. E os paraenses nem ligam. A China liga – e muito.

Na semana passada, a Vale começou a divulgar no seu site uma série de matérias sobre os 50 anos de Carajás citando uma frase do primeiro-ministro da China, ZhaoZiyang dirigida aos brasileiros: “Seus antepassados devem ter agradado a Deus para que Ele lhes tenha dado tanto”, disse ele, durante visita que fez à Serra dos Carajás, no Pará, em 1985, ano do início da produção da maior província mineral do planeta.
A reportagem registra as comemorações no dia fixado para a descoberta da primeira riqueza de Carajás, o minério de ferro, em 31 de julho de 1967, com o pouco do geólogo Breno Augusto dos Santos na clareia de uma das serras do conjunto de elevações, a Arqueada. A Vale lembra que Ziyang era então o segundo homem na hierarquia do governo chinês e responsável pela internacionalização econômica do país. E que tinha razão: Carajás só pode ser um presente divino, tal a sua singularidade no universo do subsolo do mundo inteiro.
Eu desconhecia essa frase na boca do dirigente chinês. Mas já a ouvi em muitas outras bocas, que serviram e ainda servem de instrumento para a expressão em língua nacional por brasileiros. Outras pessoas, bem antes do profético Ziyang, já haviam escrito várias vezes essa afirmativa, por criação própria ou reproduzindo observação alheia.
De estrangeiros, as primeiras dessas observações que testemunhei foram ditas por japoneses. Antes dos chineses e bem antes de os brasileiros tomarem consciência do que Carajás representava, eles expressavam com o olhar o seu reconhecimento à excepcionalidade das riquezas existentes naquela paisagem maravilhosa de serras e rios, florestas e animais.
A exuberância de Carajás, hoje uma ilha de natureza ainda conservada  num oceano de selvagem desmatamento, contrastava imensamente com a aridez da Austrália. Era onde os japoneses iam buscar o minério de ferro por ser um país muito mais próximo do deles do que o Brasil (e, principalmente, a Amazônia). Podia-se dizer que em Carajás eles arregalavam os olhos diante do que viam ao chegar nas excursões de verificação da mercadoria que iriam levar.
Combinar imensos depósitos de rochas ricamente mineralizadas (em ferro, manganês, cobre, níquel, ouro e o que ainda está por ser descoberto, possibilidade real, por incrível que pareça) no topo de serras acima de 300 metros do nível do mar (até quase 700 metros), só podia mesmo ser obra divina. Dilapidada desde então sem trégua pelos homens que para lá foram.

Reserva de cobre: guardiã da floresta amazônica

Reserva Nacional de Cobre e Associados foi criada em 1984 pelo Conselho de Segurança Nacional, um ano antes do fim do regime militar, iniciado em 1964. Havia indícios de que nesses 4,6 milhões de hectares, entre o Amapá e o Pará, houvesse minérios. Talvez os mesmos da Serra do Navio, bem ao lado, onde, quase três décadas antes, fora iniciada a primeira lavra empresarial da Amazônia, com uma multinacional no comando. Além do manganês, ferro, ouro e outras substâncias. Menos o cobre.

O "detalhe" não tinha importância. Mesmo a legislação permite que se requeira direitos sobre um minério e se encontre outro. O objetivo do órgão máximo da "comunidade de informações" do regime era impedir que multinacionais avançassem sobre essa área, onde já estava fincado um enorme empreendimento do milionário americano Daniel Ludwig, um dos mais famosos integrantes do capitalismo mundial de então.

Algumas pesquisas geológicas foram feitas desde então, nenhuma delas conseguindo alcançar o cobre. Requerimentos foram protocolados no DNPM. Mas nenhuma atividade empresarial de estabeleceu a partir do subsolo da reserva, que a vedava. Graças a essa porteira fechada, surgiram no período nove unidades de conservação da natureza e duas terras indígenas, que tiveram de conviver com a única presença externa: a de centenas de garimpeiros circulando entre quase três dezenas de garimpos. Sem problema algum. Afinal, o alvo eram as multinacionais.

A decisão do governo federal de extinguir a reserva tem um objetivo claro: estimular  a presença das mineradoras numa área com potencial para a atividade econômica. E só isso. Nenhuma reserva foi atingida tanto na sua integridade territorial quanto na sua dinâmica própria. Ainda assim, é possível que sofram com essa nova pressão humana? É claro que sim. A reação a esse mero abre-alas foi positiva.

Seu efeito foi um novo decreto, esclarecendo as intenções e reforçando o compromisso legal com a integridade dessas unidades ambientais e étnicas. Pela primeira vez foi criado um Comitê de Acompanhamento da Extinta Renca Interministerial. O comitê precisa contar com controle externo da sociedade civil, do Ministério Público e das universidades para ter credibilidade. Mas foi um corretivo adequado.

Ainda assim, muitos grupos o consideraram insatisfatório. Ontem, a justiça federal de primeira instância acolheu uma ação popular e restabeleceu a vigência da Renca. Seu efeito concreto é continuar a bloquear a mineração através de empresas, não mais pela diretriz da segurança nacional, eixo da ditadura militar, mas por uma ameaça à natureza e aos habitantes primitivos. Tudo bem. Quanto à garimpagem real e ativa e, eventualmente, a pecuária, a extração de madeira, os assentamentos rurais, o plantio de soja e outras atividades, nenhuma iniciativa e nenhum interdito.

E assim a Amazônia se torna menos Amazônia a cada novo dia. Mas a Renca continuará aí mesmo como a guardiã da floresta intacta.

Julho - Médico pedófilo é preso, crime contra dignidade sexual, álcool & crack, um crime amazônico, banho monitorado, funcionária da Semma denuncia vereador, mapa da violência em Alter do Chão, morte de prefeitos, petróleo na Amazônia...

 

Juiz criminal de Santarém manda prender médico Álvaro Cardoso e duas mulheres por suspeita de estupro de vulnerável

Uma operação policial na manhã desta segunda-feira (3), prendeu três pessoas suspeitas de estupro de vulnerável, em Santarém, no Oeste do Pará. Entre os presos está o médico Álvaro Cardoso Magalhães.

Também foram presas duas mulheres. Uma delas é a mãe de uma criança que teria sido abusada sexualmente.

As duas mulheres presas são Darliane dos Santos, crime de pornografia infantil e Odete Ebertz, por estupro de vulnerável.

Toda a ação foi coordenada pela Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente, com apoio do NAI, Núcleo de Apoio a Investigação.

O Portal OESTADONET apurou que a prisão foi decretada pelo juiz Alexandre Rizi, da Primeira Vara Criminal da Comarca de Santarém, com base em farta prova material, como fotos, vídeos e mensagens de aplicativo whats app.

LEIA TAMBÉM: Investigação que levou a prisao de médico por suspeita de estupro e pedofilia demorou dois-meses

Condenação de músico em Santarém reflete rigor da lei de crimes contra a dignidade sexual

O músico Sandro Moretti Silva foi preso esta semana por ter sido condenado a 13 anos e sete meses de reclusão, em sentença transitada em julgado, por ter cometido crime de abuso sexual – prática de atos libidinosos – contra menor A.R.S.C, com 9 anos de idade à época dos fatos. A denúncia foi oferecida à justiça pelo Ministério Público Estadual em março de 2012 e a condenação do músico, pelo juiz Rômulo Nogueira Brito, ocorreu em 25 de outubro de 2012.

Embora não tenha ocorrido ato sexual com penetração, o músico foi condenado por ter praticado o delito “de estupro adverso da conjunção carnal” durante o período de dezembro de 2010 a março de 2011. Sandro Moretti foi enquadrado na nova redação da Lei 12.015/2009, que modificou o capitulo dos crimes contra a dignidade sexual e passou a considerar atos libidinosos com menor de 14 anos passíveis de penas mais severas, equiparando-os às de crime de estupro.

Na denúncia apresentada pelo Ministério Público e acatada pelo juiz, Sandro Moretti foi acusado de beijar a menor à força, exibir seu órgão sexual e tocar partes íntimas da vítima. O músico encontra-se recolhido ao presidio de Cucurunã para cumprimento da pena.

Sua defesa recorreu da sentença ao Tribunal de Justiça do Estado, visando a anulação do processo, mas teve pedido negado, em novembro de 2015, pelo desembargador Raimundo Holanda Reis.

A defesa também tentou um recurso especial, mas no dia 13 de julho de 2016 o desembargador Ricardo Ferreira Nunes negou seguimento à apelação ao Superior Tribunal de Justiça.

LEIA TAMBÉM:
http://oestadonet.com.br/index.php?option=com_k2&view=item&id=11981:investigacao-que-levou-a-prisao-de-medico-por-suspeita-de-estupro-e-pedofilia-demorou-dois-meses&Itemid=54http://oestadonet.com.br/index.php?option=com_k2&view=item&id=11983:filme&Itemid=54

Dependência de álcool e crack é maioria dos casos de pessoas atendidas pelo CAPS AD de Santarém

Cerca de 90 por cento das pessoas atendidas pelo Centro de Atenção Psicossocial Álcool e outras Drogas- CAPS AD III 24h, em Santarém, no oeste do Pará, no primeiro semestre deste ano, são usuários de álcool e crack, de acordo com levantamento feito a pedido do Portal OESTADONET..

De 273 pacientes novos acolhidos de janeiro e junho, 186 usuários consomem múltiplas drogas ( álcool e crack), 55 fazem uso somente de álcool e 2 de crack, totalizando 243 pessoas atendidas. Dependência a tabaco(17), cocaína(4) e maconha(9) completam os tipos de drogas lícitas e ilícitas consumidas pelos pacientes do centro.

O CAPS AD III 24h, mantido pela Prefeitura de Santarém, tem a finalidade de atender indivíduos com dependência de álcool e outras drogas.  O tratamento é realizado por meio de atendimentos individuais de Clínica Geral, Psiquiatria, Enfermagem, Psicologia, Terapia Ocupacional e Assistência Social, atendimentos grupais aos usuários e familiares, oficinas terapêuticas, visitas domiciliares e orientações de prevenção a saúde com base na redução de danos. 

Um crime amazônico - o caso da criança que degolou outra criança, há 10 anos, em Novo Progresso

Os dois saíram juntos da escola e seguiram até um terreno baldio afastado. Quando lá chegaram, o mais velho pegou um pedaço de pau e golpeou o outro na cabeça, deixando-o desacordado. Em seguida, abusou sexualmente da vítima inerte. Da própria roupa, tirou uma pequena faca com lâmina de serra e rasgou o pescoço do companheiro até quase decapitá-lo. Cansado, abandonou o corpo no meio da mata rala.

Quando o cadáver foi encontrado, no dia seguinte, pouco restava da sua cabeça. Porcos de uma criação doméstica próxima, atraídos pelo sangue, tinham comido parte da cabeça, praticamente a seccionando. Havia perfurações de faca pelo corpo da vítima. Seu matador foi localizado e identificado com vestígios de sangue na roupa e a arma do crime em seu poder. Confessou espontaneamente o crime para o delegado da polícia civil José Casemiro Beltrão.

O município de Novo Progresso, no sul do Pará, cresceu em meio a assassinatos violentos. Mas esse, que ocorreu exatamente 10 anos atrás, causou tanta revolta que pessoas se juntaram com o propósito de tirar o assassino da cadeia e linchá-lo. Mesmo sendo um menino de oito anos de idade. Sua vítima, que estudava na mesma escola, tinha apenas três anos.

O delegado levou imediatamente o menor ao juiz Celso Marra Gomes, que o interrogou. O menino disse que matou o colega porque não gostava dele. Não foi explícito em indicar um motivo para o crime, mas sugeriu que o outro se recusava a brincar com ele. Reconstituiu seu procedimento sem alterar a voz, como se descrevesse um fato corriqueiro, diante de pessoas que testemunharam o seu depoimento.

A frieza eletrizou a população. Quando quase mil pessoas foram em passeata para a porta do fórum pedir justiça, o delegado e o juiz se anteciparam e transferiram o menor para a cidade mais importante da região, Santarém, a 700 quilômetros de distância. Na companhia de um integrante do Conselho Tutelar. Depois de passar por uma unidade da Fundação da Criança e do Adolescente do Pará, o garoto seguiu para destino desconhecido.

Dez anos depois do dia 17 de março de 2007, por certo prisma o mais trágico na história de Novo Progresso, o assassino atinge sua maioridade. Sua família e as autoridades que poderiam saber do seu paradeiro ou o desconhecem ou preferem não dar qualquer informação a respeito. Este não é o único mistério numa história de selvageria rara nos registros mundiais.

É uma história para arquivar e esquecer de vez ou reconstituí-la, agora que o assassino atingiu a maioridade e pode responder pelos seus atos, enquanto a sociedade está mais atenta à espiral de barbaridade nos homicídios, cada vez mais frequente e mais rotineira. Talvez porque também esteja sendo demasiadamente tolerada, empurrada para debaixo do tapete do comportamento politicamente correto, demarcado por uma consciência histórica pesada há séculos.

A criança assassina chega à maioridade sem ter sido responsabilizada pelo crime que cometeu. Segundo a informação fornecida por um jornalista de Santarém, o agora rapaz mora com o pai, em Itaituba, cidade mais antiga, a segunda principal no vale do Tapajós.

Como as demais, de origem recente, a partir da abertura da BR-163, ela se formou pela exploração da borracha e prosseguiu com outro extrativismo, o da garimpagem de ouro, completado por outra forma de extrativismo, a da retirada de madeira, combinado com pecuária, vértices de um crescimento acelerado da migração, das atividades econômicas, do crime e da violência.

Como o Estatuto da Criança e do Adolescente proíbe revelar detalhes da vida do menor, do que ele fez, há 10 anos, o que resta é a faca que usou para degolar o colega. A arma é guardada pela conselheira tutelar Ceiza Pantoja, ainda em Novo Progresso. Nenhuma fonte quis confirmar oficialmente se um inquérito policial foi instaurado para apurar o homicídio. O fato virou história. Em geral, na selvagem fronteira amazônica, mais uma desmemoria.

Semma contrata empresa de Goiânia para monitorar qualidade da água para banho em cinco praias de Santarém

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente contratou a Conágua Ambiental, empresa sediada em Goiânia, para continuar o monitoramento da qualidade das águas para banho em cinco praias de Santarém, que vinha sendo realizado Universidade Federal do Pará(UFOPA), desde 2016.

Em três estudos de balneabilidade realizados pela UFOPA foram monitoradas as praias de Ponta do Muretá, Alter do Chão, Cajueiro, Praia do Amor, Pajuçara e Maracanã. A pesquisa foi coordenada por dois professores-doutores do Laboratório de Biologia Ambiental da instituição

Vereador Alysson Pontes é denunciado à polícia por funcionária da Semma

O vereador Alysson Pontes (PSD) foi acusado de agredir verbalmente uma funcionária da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), na semana passada, durante atendimento no protocolo do órgão, quando o parlamentar buscava informações sobre um empreendimento que está sujeito ao licenciamento da Semma.

A engenheira agrícola Rafaela Nicolau dos Santos, chefe do controle ambiental da Semma, procurou a delegacia de polícia para registrar boletim de ocorrência, após o expediente da secretaria. O incidente foi presenciado por várias pessoas que se encontravam na sala de recepção da secretaria, por onde se dá o acesso ao guichê do protocolo.

Segundo o esposo de Rafaela, Darlisson Bentes, que tornou público o incidente nas redes sociais, neste último final de semana, “mesmo com inúmeras testemunhas ao seu redor, o mesmo não hesitou em ofender e destrata-la com notável descontrole emocional, apontando o dedo “na cara dela”.

Moradores de Alter do Chão fazem mapa da violência na vila e organizam protesto para cobrar mais segurança

 

Comunitários da vila de Alter do Chão, um dos principais destinos turísticos do estado do Pará, localizada em Santarém, elaboraram um mapa de ocorrências policiais (assaltos, furtos, arrombamentos) que foram registradas nos últimos 12 meses. Os pontos em vermelho no mapa significam que já houve roubo mais de uma vez naquele local.

A coordenação pede para quem foi vitima de violência, em Alter do Chão, que repasse a ocorrência para que o local seja assinalado no mapa. A intenção dos organizadores é que o administrador da vila, José Carlos Zampietro, entregue os dados ao superintendente da Polícia Civil, delegado Gilberto Aguiar.

Morte de prefeitos: disputa pelo orçamento se torna caso de polícia no Pará

m um ano e meio, três prefeitos foram assassinados no Pará. Eles comandavam municípios que ficam na região do lago da hidrelétrica de Tucuruí. O que poderia ser visto como crimes em série começou em janeiro do ano passado, com a execução do prefeito de Goianésia do Pará, João Gomes da Silva, do PR. Em maio foi a vez do prefeito de Breu Branco, Diego Kolling, do PSD.

A série se completou anteontem, 25, com a maior e mais violenta das execuções: o prefeito de Tucuruí, a cidade mais importante da região, Jones William da Silva Galvão, do PMDB, recebeu oito tiros. Sozinho (o segurança de todos os dias faltou), ele fiscalizava obras.

Um homem que ia na garupa de uma moto, desceu e fez os disparos contra Jones com uma pistola ponto 40. A arma é potente. Tantos tiros devem ter servido também de advertência ao sucessor, o vice-prefeito, que tomará posse hoje.

A Secretaria de Segurança Pública do Estado montou imediatamente um esquema mais ostensivo de investigação e reuniu os outros dois prefeitos de municípios que também foram atingidos pelo represamento do reservatório da hidrelétrica de Tucuruí, a quarta maior do mundo, formando um lago artificial de três mil quilômetros quadrados (300 mil hectares). O prefeito de Novo Repartimento é Deusivaldo Silva Pimental e o de Pacajá é Chico Tozetti, ambos do PMDB.

Por causa do royalty sobre o uso da água para a produção de energia, Tucuruí é um dos municípios que mais arrecadam no Pará. Os outros quatro também recebem sua parte da compensação. As administrações municipais têm problemas com suas prestações de contas.

A Petrobras, o polêmico geólogo americano e a pesquisa de petróleo na Amazônia

O americano Walter Link foi o mais polêmico personagem do início da história da Petrobrás e da própria história do petróleo no Brasil. Durante cinco anos, entre 1956 e 1961, ele chefiou a diretoria de exploração da empresa. Link assumiu o cargo três anos após a criação do monopólio estatal do petróleo e um ano depois da descoberta de óleo na Amazônia: em março de 1955 jorrou o “ouro negro” no poço de Nova Olinda, às proximidades de Manaus, no Amazonas. Quatro mil barris chegaram a ser produzidos (outros 1.800 barris em Autás-Mirim).

Era uma época de euforia. A Amazônia tinha nada menos do que um milhão de quilômetros quadrados de bacia sedimentar aluvional, considerada um alvo preferencial para a acumulação de hidrocarbonetos. Se finalmente o óleo irrompeu do subsolo era porque em breve a região estaria produzindo tanto quanto as principais zonas petrolíferas do mundo.

Mas isso não ocorreu. Nas três décadas seguintes, todas as esperanças de surgir um campo comercial de petróleo se frustraram. Muitos não estavam dispostos a aceitar que esse insucesso se devesse às típicas condições geológicas da Amazônia, repletas de surpresas. Estavam convencidos que os fracassos derivavam da sabotagem praticada por Link.

Nos cinco anos em que, contratado por Juraci Magalhães, primeiro presidente da Petrobrás, comandou a busca do precioso energético, sempre um peso excessivo na frágil balança comercial brasileira, o americano não teria sido leal à empresa que o contratara a peso literalmente de ouro (seu salário era de 100 mil dólares ao ano, em valores do final da década de 50). Na verdade, seria um espião da Standard Oil, a rapace empresa petrolífera dos Rockfeller, desde a década de 1920 interessada nas reservas brasileiras.

Os erros cometidos por Link no relatório final de sua atuação na Petrobrás justificariam essas desconfianças, realimentadas pelo êxito que a Petrobrás obteve no Recôncavo Baiano logo após a saída do geólogo. Mas Walter Link teria sido mesmo um espião, um sabotador, um técnico de má-fé, ou seus erros tinham raiz mais simples: sua arrogância, sua vinculação aos amigos que deixara nos Estados Unidos e a falta de integração ao corpo técnico (e à própria gente) do Brasil?

Entre seus acertos estava a afirmativa de que não havia petróleo no Acre, apesar da confiança nacional em sentido contrário, e de que a área mais propícia a acumulações era o Médio Amazonas, onde foi encontrado o primeiro campo de óleo em escala de produção comercial da região, o Urucu, que viria a ser a maior fonte de óleo para o país em terra.

Por causa das paixões que provocou, a favor e contra, Walter Link ainda é um tema em aberto na historiografia brasileira. Para enriquecê-la,republico a partir desta edição, em duas partes, um documento que era absolutamente inédito até divulgá-lo em 2000, através da Agenda Amazônica, publicação mensal que durou pouco mais de dois anos.

Trata-se de um relatório confidencial que o então major Jarbas Gonçalves Passarinho escreveu em 1958, dirigido ao seu superior imediato, o superintendente regional da Petrobrás na Amazônia, coronel Nélio Lobato, e ao presidente da empresa, coronel Janary Nunes. O relatório reproduzia os termos de uma conversa que Passarinho, adjunto da superintendência, tivera com Link durante uma excursão ao extremo noroeste do Acre. As opiniões do geólogo americano impressionaram tanto ao militar que ele decidiu repassá-las aos escalões mais altos da Petrobrás. Esse documento não havia sido publicado até este momento.

Se o relato de Passarinho foi encarado com a mesma gravidade de quem o produziu, quando tinha apenas um ano de empresa, não se sabe. Link continuou como diretor de exploração da Petrobrás por mais três anos. Nélio Lobato deixou a superintendência um pouco depois, sendo substituído pelo próprio Passarinho.

Ambos acabariam trocando o Exército pela política, o ex-superior chegando a prefeito de Belém e a deputado federal, enquanto Passarinho acumulou mais cargos do que qualquer outro político paraense. Já Walter Link não parece ter-se importado em ver sua conversa transformada em relatório. Suas relações com Passarinho não mudaram. E como chegou ao Brasil em 1956, foi-se cinco anos depois. O país é que já não era o mesmo.

Junho- Subtenente morta com o próprio revolver, Eia/Rima para ferrovia, Oriximiná, Óbidos e Monte Alegre em emergência, Jatene inaugura escola tecnológica, HMS e UPA terão gestão terceirizada, ouro da discórdia entre índios, Osmando esfaqueia rival..


Neto confessa ter matado subtenente para roubar revólver e diz que é agredido no presídio

Em depoimento prestado ao juiz Gabriel Veloso, no final da manhã desta sexta-feira(2), Sebastião Neto confessou ter matado a subtenente Silvia Margarida, mas disse que a intenção era roubar seu revólver.

Neto afirmou estar arrependido e pediu ao juiz para permanecer em Santarém, para ficar mais próximo da família dele que mora em Juruti (onde ele nasceu).

O acusado de latrocínio disse ainda que está numa cela com outros dois detentos, sem direito a banho de sol e que vem sendo espancado diariamente: "Sou odiado por todos e sei que vou continuar apanhando diariamente, mas quero ficar em Santarém, para poder ver minha família", contou ao juiz ao fim do interrogatório.

O juiz Gabriel Veloso afirmou que como acumula a Vara de Execuções Penais, vai averiguar suas denúncias e tomará providências cabíveis, pois nenhum preso deve ser torturado. "Se for condenado, deverá pagar por seus crimes, mas dentro do que prevê a lei", assegou o magistrado.

SEMAS já pode marcar audiência pública para discutir EIA-RIMA do projeto da ferrovia paraense

O Estudo de Impacto Ambiental e o Relatório de Impacto Ambiental do projeto Ferrovia Paraense S/A já está protocolado na Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade -SEMAS. A obra irá interligar diversos municípios paraenses.

O projeto é da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia - Sedeme.

Jatene inaugura escola tecnológica de Santarém

O governador Simão Jatene e a secretário de estado de educação, Ana Cláudia Hage, inauguram sábado (10) a Escola de Educação Profissional e Tecnológica de Santarém. É a 23a da rede de escolas estaduais de ensino técnico gerida pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc); a terceira desse tipo no Oeste do Pará (já estão em funcionamento as de Monte Alegre e Oriximiná).

A nova escola, construída com reursos de um convênio entre os governos do Estado e da União custou .R$ 11 milhões de reais. Com 12 salas de aula, tem capacidade para atender 1.440 estudantes.

EIA/Rima para ferrovia paraense

De acordo com a Lei nº 5887, que dispõe sobre a Política Estadual do Meio Ambiente, há o prazo de 45 dias para solicitação de Audiência Pública.

A SEMAS comunica aos órgãos, instituições governamentais e não governamentais e à população, que em 21/12/2016, foi protocolado sob onº45585/2016, para análise daquela Secretaria, objetivando a concessão de licença ambiental, o Estudo de Impacto Ambiental – EIA e o respectivo Relatório de Impacto Ambiental – RIMA, referentes ao projeto Ferrovia Paraense S.A, que interligará o município de Santana do Araguaia a Barcarena

Informa, ainda, que a documentação referente ao Relatório de Impacto Ambiental – RIMA, encontra-se a disposição dos interessados para consulta no Núcleo de Documentação e Arquivo desta Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade – SEMAS, sito à Trav. Lomas Valentinas, 2717 – Marco e através do site www.semas.pa.gov.br.

Oriximiná, Óbidos e Monte Alegre têm situação de emergência reconhecidas

Monte Alegre e Óbidos foram reconhecidas, nesta quinta-feira, pelo Ministério da Integração Nacional em situação de emergência devido às chuvas intensas, inundações e enxurradas.

Na quarta-feira(7) foi reconhecido emergência em Oriximiná, devido às inundações.

Gestão terceirizada do HMS e UPA, se aprovada pela Câmara, vai dispensar servidores temporários. Efetivos serão mantidos

O prefeito Nélio Aguiar encaminha nesta terça-feira(13) à Câmara de Vereadores, projeto de lei que propõe um novo modelo de gestão por Organização Social (OS) do Hospital Municipal de Santarém e UPA 24 horas. Assim que os vereadores aprovarem a matéria, a secretaria municipal de saúde realizará processo licitatório para contratação da entidade gestora até o final deste ano. Os servidores municipais sob contrato temporário, que atuam no HMS, PSM e UPA, serão dispensados. Os funcionários efetivos vão continuar desempenhando as mesmas funções que exercem atualmente.

Nélio justificou a opção de administração terceirizada do HMS e UPA, alegando que a gestão própria não resolveu o problema crônico de demora no atendimento, superlotação, falta de medicamentos e de equipamentos entre as principais reclamações diárias envolvendo unidades de saúde municipais.

Exploração de ouro em território indígena no Pará divide índios Munduruku

A corrida do ouro tem criado tensão entre os mundurucus, etnia de 12 mil pessoas conhecida por protestos ousados, como a tomada por uma semana do canteiro de obras da usina Belo Monte, em 2013.

Principal liderança da etnia, o cacique geral, Arnaldo Kabá, protocolou ou apoiou denúncias de atividade garimpeira em terra indígena à Funai, ao Ministério Público e ao Ibama.

No ano passado, ele foi ao local pessoalmente, mas a reunião não teve resultado: "Fiquei triste porque o meu povo está com ideia tão diferente. Cacique pega ouro, mas não sei se está fazendo alguma coisa pela comunidade", disse à Folha, por telefone.

"A população está sofrendo muito com os garimpeiros brancos. A água está muito suja, muita tristeza, traz mercúrio, malária, diarreia", completou.
Embora em minoria, o envolvimento dos mundurucus é significativo. Apenas no garimpo Água Branca, 22 aldeias recebem pagamento em ouro, de um total de 123.

O número de aldeias participantes foi dado por Waldelirio Manhuary, uma das principais lideranças da associação Pusuru. Ele afirma que a cobrança do percentual é um direito pelo dano e afirmou que as lideranças contrárias ao garimpo não são representativas.

Por telefone, Manhuary afirmou que há no local dez escavadeiras e 19 máquinas para garimpo, usadas para lavagem do solo. Dessas, duas escavadeiras e oito máquinas pertencem aos mundurucus.

"Não somos bandidos. Ladrões são os de colarinho branco, os congressistas", afirmou.

Responsável pela fiscalização do sudoeste do Pará, a gerente executiva do Ibama em Santarém, Maria Luiza de Souza, afirma que, ao poluir os rios, o garimpo traz mortalidade de peixes e doenças para as comunidades indígenas, que em troca recebem um percentual muito pequeno da riqueza produzida.

"Não há aumento na qualidade de vida da aldeia, é um dinheiro que beneficia apenas o garimpeiro. O índio não fica com nada."

Osmando se queixou à polícia que foi chamado de velho corno por ex-mulher, 24 horas antes de tentar esfaquear rival

O site de notícias G1 Santarém informou sábado(24) que o advogado José Osmando Figueiredo é suspeito de tentar esfaquear Lázaro Gilson da Silva, 43 anos, por volta de 11 horas, na avenida Mendonça Furtado,  no bairro da Aldeia, em Santarém, crime que teria sido motivado por ciúmes da ex-mulher, Elaine Ferreira de Castro, 28 anos, que estaria mantendo relacionamento amoroso com seu rival.

O Portal OESTADONET apurou que, no dia 23 de junho, cerca de 24 horas antes de se envolver em incidente com Lázaro, Osmando procurou o delegado Jamil Casseb para registrar Boletim de Ocorrência Policial contra sua ex-mulher, acusando-a de agressões verbais e físicas, no interior de um camarote instalado no estacionamento do shopping Rio Tapajós para o show do DJ Alok.

Osmando contou à polícia que " foi surpreendido com a presença de sua ex-mulher Elaine Ferreira de Castro, a qual invadiu seu camarote, visivelmente embriagada, passando a agredi-lo com palavras de baixo calão, chamando-o de "SEU VELHO CORNO, VOU TE ARREBENTAR" (textuais), em seguida partiu para cima do relator passando a lhe agredir fisicamente", registra o B.O.

Mas o primeiro incidente envolvendo Osmando e Eliane, no show de Alok, dia 22, também foi comunicado à policia pela ex-mulher do advogado. No dia 24, Elaine contou à delegada Marcia Rabelo que ela e Lázaro " foram agredidos por dois homens a mando do sr. JOSÉ OSMANDO FIGUEIREDO, quando estavam na área do shopping Rio Tapajós, conforme BOP 168/2017.004429-3".

O inquérito 00355/2017.000167-8 foi instaurado para apurar as denúncias contra  Osmando Figueiredo inicialmente por lesões corporais e não por tentativa de homicídio contra Lázaro Gilson da Silva.

356 anos: Santarém e a sua vocação econômica

Ao longo dos seus 356 anos de fundação, passando por Missão, Vila e Cidade, Santarém, assim como as pessoas, vem convivendo com seus dilemas existenciais.
O atual diz respeito à sua vocação econômica, que envolve duas correntes distintas de pensamento: a das ONGs ambientalistas e dos movimentos populares que levantam a bandeira da preservação do meio ambiente, contra os desenvolvimentistas que têm no meio ambiente a matéria prima necessária para promover o “desenvolvimento” deles, e desejam transformar o município num produtor e corredor de exportação de grãos proveniente do Centro Oeste brasileiro.

A expansão da fronteira agrícola em Santarém já é fato consumado, como já ocorreu em outras regiões do Brasil. É sempre bom lembrar que o bioma cerrado, caracterizado por seu clima seco e árvores retorcidas, encontrado em vários estados do Planalto Central, já foi considerado como impróprio para agricultura. Foi assim que aprendi nos meus livros de geografia no Dom Amando.
Com o tempo, a cultura da soja veio subindo o mapa e hoje a maior produção de grãos do Brasil é proveniente do "improdutivo cerrado".

Em Santarém ela chegou na década de 1990.
Pela sua localização geográfica, banhada pelos rios Amazonas e Tapajós, além de produtor de soja, o município vem sendo adaptado para se consolidar como grande corredor de exportação de grãos do Oeste Paraense.
Escoar a soja produzida no Mato Grosso pelo porto de Santos ou Paranaguá, custa US$ 120 a tonelada, pelo porto de Santarém 80 dólares. 50% mais barato.
Este dado esclarece o forte interesse do agronegócio em viabilizar esse corredor de integração Santarém/Cuiabá.

No final do ano de 2003, participei em Belém, no Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG), do seminário "A Geopolítica da Soja na Amazônia", onde foram discutidos os impactos sócio-ambientais produzidos no bioma amazônico, decorrentes da expansão da fronteira agrícola motivada principalmente pela produção de grãos, em especial o cultivo da soja.

Este processo continua a merecer uma ampla discussão em virtude de suas demandas para consolidação de infra-estrutura do sistema de produção/exportação, no nosso caso terra/estrada/porto, que agrava a expansão do sistema de latifúndios, gerando conflitos entre grandes produtores e populações tradicionais das comunidades, transformando paisagens.

Este padrão de ocupação e uso da terra, como bem disse Peter Toledo, diretor do MPEG, na abertura do Seminário, exige uma reflexão e posicionamento por parte da comunidade acadêmica, que tendo como base informação e conhecimento científico sólidos, deve analisar pontos importantes e resolver questões estratégicas como, por exemplo, se os padrões de uso e mudança da terra e critérios de sustentabilidade dos modelos agrícolas reproduzidos de outras regiões brasileiras, podem ser compatíveis com a especificidade da floresta tropical úmida da Amazônia.

Um dos desafios do setor ambiental da Amazônia não está, necessariamente, em evitar o desmatamento a qualquer custo, mas na falta de informações sobre o potencial da floresta e os benefícios que podem trazer seus recursos naturais.

No governo Ruy Corrêa (1993/96) o município ganhou a estrutura organizacional que mantém até hoje.
Nesse período, a Prefeitura assinou convênio com a Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais - CPRM, empresa vinculada ao Ministério de Minas e Energia, para realizar levantamento das potencialidades do Município.
As informações obtidas foram disponibilizadas em forma de inventários, que recebeu o nome de PRIMAZ - Programa de Integração Mineral em Municípios da Amazônia.

Esse minucioso levantamento das potencialidades dos espaços municipais gerou mapas temáticos que possibilitavam (e possibilitam) às autoridades do município e do estado o acesso aos elementos necessários à elaboração de planos de desenvolvimento regional que, infelizmente, fica a impressão, nunca foram utilizados.

O PRIMAZ informava que o município possuía 600.000 hectares com áreas alteradas, que quer dizer áreas que foram desmatadas e depois abandonadas ou transformadas em pastagens mal manejadas.
Foi com base nessa informação que a soja veio para ficar pois, segundo o discurso da época, não seria preciso desmatar para se estabelecer o pólo sojeiro em Santarém, dando início ao ciclo do agronegócio na região.

Em 1996 foi implantado um projeto piloto com objetivo de testar diversas variedades de soja em Santarém. Isso ocorreu numa área de propriedade do senhor Francisco Quincó, na comunidade do Diamantino, a 12 km do porto da CDP.
Projeto idealizado pela AGRÁRIA - Engenharia e Consultoria S/A, empresa do Paraná, em parceria com o Grupo Quincó.
É que no ano anterior a AGRÁRIA tinha sido contratada pelo estado para "identificar métodos e procedimentos para a exploração das várzeas da região, em bases econômicas e ambientalmente sustentáveis" e, casualmente, acabou se transformando no catalisador que desencadeou tudo o que hoje se observa com relação a produção de grãos em larga escala no Médio Amazonas. Prometo um dia contar essa história.

A ideia da AGRÀRIA era produzir soja em Santarém, pertinho do porto, valendo-se dos 600 mil hectares alterados.
O raciocínio da empresa era que mesmo que a produtividade fosse menor que a do Sul e Centro Oeste, esse fator poderia ser compensado pela economia do frete.
Porém a produtividade apresentada por algumas variedades, já no primeiro ano, deixou todos animados: 57 sacas por hectare, não ficando nada a dever ás regiões de alta produtividade.

Esse resultado provocou a corrida de produtores de outros estados em direção a região e, com eles, recrudesceu o êxodo rural da agricultura familiar que tradicionalmente produzia em pequena escala com baixa produtividade no planalto santareno.
A abertura de novas áreas para o plantio adquiriu proporções geométricas em relação aos anos anteriores, transformando a paisagem ao longo da BR-163. A busca desenfreada por terras acabou em grilagem, gerando conflitos que foram parar na polícia.

Hoje, algumas comunidades estão praticamente extintas, restando somente o nome. Seus moradores venderam seus lotes e as casas foram dando lugar a áreas mecanizadas para produção de grãos. Escolas foram fechadas por falta de alunos, linhas de ônibus desativadas por falta de passageiros. O discurso inicial de que não seria preciso desmatar para se estabelecer o pólo sojeiro em Santarém não passou de discurso.

O Pará é um estado rico, mas apresenta alguns dos piores índices de desenvolvimento humano, o que mostra que alguma coisa não está funcionando de forma apropriada, que muita coisa precisa ser ajustada.
Não podemos nem devemos confundir crescimento econômico, que é a elevação da produção estudada, calculada através da soma de todos os produtos e serviços gerados na região num determinado período, com desenvolvimento econômico, que está relacionado a melhoria do bem estar da população, e é medido através de indicadores de educação, saúde, renda, pobreza, etc.

Resumindo: crescimento de um setor não garante o desenvolvimento do município.

Modificar essa realidade não é tarefa fácil. O fato é que ainda não sabemos como fazê-lo dentro do sistema econômico vigente.
O agronegócio exige escala, torna-se necessário encontrar opções econômicas que atendam a grandeza da Amazônia. Eu mesmo, como engenheiro florestal e extensionista da EMATER, já tentei algumas alternativas, dentre elas o pau-rosa e o curauá, mas não vingaram, falta quase tudo (pesquisa, insumos, assistência técnica, recursos financeiros, capacitação dos produtores, vontade) para que se consolide uma cadeia produtiva nesses nichos de mercado, que consiga modificar o "modus operandi" da tradicional agricultura familiar.
Sem falar no cupuaçu, andiroba, copaíba, cumaru, etc. Não existem processos de agroindustrialização que agreguem valor à produção primária para aumentar a renda da família, nem conhecemos estudo de mercado dessas culturas.

O tráfico de animais silvestres é hoje a terceira maior atividade ilegal do mundo, só perdendo para o tráfico de drogas e de armas. Peixes ornamentais e aranhas caranguejeiras fazem parte da relações dos animais contrabandeados aqui da Amazônia. Por que não incentivar a criação desses peixes e aranhas, organizar e estruturar esse mercado? (Cristovam Sena)

Pagina 1 de 286